7 Passos INCRIVELMENTE Óbvios para se Criar um Consultório Seguro e Rentável

Tempo de leitura: 12 minutos

Hey, Mr. Phd… Let`s talk about business?

Veja bem… Se você é um profissional de saúde que investiu uma absurda quantidade de tempo e/ou dinheiro em sua formação, alcançou seus objetivos acadêmicos e finalmente começou a atuar no mercado de trabalho depois de toda essa jornada… e acabou percebendo que a realidade de montar seu próprio negócio (clínica ou consultório) é um pouco mais difícil do que na teoria: você está no artigo certo.

Nessa série de 7 artigos, vamos falar ABSOLUTAMENTE tudo o que você precisa saber, do ponto de vista estratégico e de crescimento, para criar um mecanismo de crescimento constante para a sua carreira e os seus negócios. Vamos falar sobre gerenciamento de carreira, crescimento sólido e sustentável, criação de uma base de pacientes que te acompanhará por toda a vida.

 

Não deixe de baixar esse material para entender melhor sobre gestão de carreira para profissionais de saúde.

 

Estratégias de Crescimento para consultórios e clínicas: um assunto que muitos têm falado nos últimos anos. Uma área ainda incipiente para o mercado e que, quando bem conduzida, pode ajudar a aumentar e muito o faturamento desses negócios.

Vários especialistas e famosas figuras do mercado de marketing tradicional começaram a investir rios de dinheiro também nesse setor. Querem convencer profissionais de saúde, à todo custo, de que são a única esperança para que seus consultórios não quebrem no médio prazo.

 

Agora… cá entre nós, profissionais de saúde:

Se existe um mercado que é relativamente seguro em tempos de crise… esse mercado é o da saúde.

 

Mesmo sem grandes investimentos, com pequenas ações e muitas vezes até descoordenadas, profissionais de saúde conseguem ótimos resultados nos consultórios. Uma campanha no rádio, distribuição de panfletos ou até mesmo um pequeno anúncio em uma TV local.

Que funcionam, não há dúvida. A grande questão é que essas não são estratégias que vão permitir a perpetuidade do negócio e a sustentabilidade da operação.

Deixe-me mudar o cenário… o que você prefere, para o seu consultório?

 

Opção 1:

Guardar um dinheiro para ter uma carta na manga em tempos de crise… e investir em uma campanha volátil (que provavelmente vai dar certo) para aumentar pontualmente o volume de pacientes… enquanto se prepara financeiramente para um outro evento como esse.

 

Opção 2:

Criar uma estrutura de marketing com processos bem definidos, na qual você investe um pouco todos os meses, mas te dá resultados constantes e previsibilidade, impedindo que você caia em situações de desespero como na situação acima.

 

Qualquer empresário, em sã consciência, escolheria a segunda opção, concorda?

 

O objetivo desse texto de hoje é te explicar, na prática, como você deve organizar a sua estrutura de marketing para conseguir resultados sustentáveis ao longo do tempo e não sofrer com instabilidades de mercado.

Para chegar ao que vamos te apresentar hoje, não fizemos de forma impensada e sem estudo: ao longo de 5 anos nos especializamos e criamos 2 dos maiores projetos de empreendedorismo digital em saúde do Brasil: o iMedicina e o Consultório 2.0.

Ambos são fruto do trabalho de um time coeso, com especialistas em Marketing Digital, software, Design de conversão e vendas. E tenho o prazer de liderar esse time, que cresce a cada dia ajudando mais consultórios a conseguirem melhores resultados, sempre!

 

Meu nome é Raphael, sou médico oftalmologista, fundador dessas duas empresas. Cada vez mais focado nesse mercado, participamos de centenas de consultorias (mais de 300) e ajudamos a criar estratégias de negócios para muitos profissionais de saúde que atendem em clínicas e consultórios. Em sua enorme maioria (97,5%), com resultados muito positivos.

 

Ao longo dessa jornada, nos tornamos especialistas em Marketing Digital em Saúde e nos certificamos e formamos parcerias com os maiores players da área.

Somos especialistas Google Partner, certificados em Inbound Marketing pela Hubspot (maior empresa do setor, no mundo) e em Marketing de Conteúdo pela RockContent (líder de mercado no Brasil e nossa parceira).

Com esse Background, vamos conversar sobre estratégias. Estratégias essas que vão garantir que você tenha um consultório cada vez mais seguro e estruturado, com um setor de marketing confiável na geração de pacientes para os eu negócio.

 

Para isso, vamos passar pelos seguintes pontos:

 

 

Separei um pequeno artigo para cada um desses pontos, mas reservo esse para o primeiro assunto: estratégia!

 

Sim.

Estratégia. Ela é fundamental para nortear o rumo do seu consultório e te guiar nesse objetivo.

 

De uma forma geral, podemos dizer que toda estratégia de marketing e vendas (divulgação e conversão de visitantes em pacientes) precisa ser executada em 3 estágios básicos:

 

1) Atração

O primeiro passo é ter meios para atrair possíveis visitantes para o contato com o seu consultório, no ambiente de ideação. Ou seja: levar a sua mensagem para possíveis pacientes.

Dizemos ideação pois essa atração ocorre no psicológico do visitante. Ele começa a ser conduzido de forma a pensar que você é a solução para um problema dele.

Nessa fase, vamos fazer uso de ferramentas de divulgação digital do consultório e as melhores, sem sombra de dúvidas, com 98% de cobertura dos acessos à internet, são o Google Adwords e o Facebook Ads. Através dessas ferramentas, você pode investir poucos reais por mês para gerar a atração necessária para a sua estratégia funcionar (sério! Com R$20,00 por mês já é possível começar!).

 

2) Conversão

Nessa segunda fase, vamos usar nosso poder de comunicação para conduzir os visitantes de nossa estratégia (os que foram atraídos no primeiro passo) até o nosso consultório.

Vamos entregar mais informações, explicar mais profundamente sobre pontos específicos que possam gerar interesse desses possíveis pacientes e vamos coletar o contato desses potenciais clientes.

Nesse ponto, eles passam a ser possibilidades de negócio e só se convertem em pacientes reais quando chegam até o nosso consultório.

 

3) Relacionamento

Depois, fazemos o uso de estratégias de marketing e estratégias digitais para manter por perto esses pacientes e para nos certificarmos de que, no momento certo, eles retornarão aos nossos serviços.

Investir em relacionamento é fundamental para reduzir os custos gerais da estratégia e para certificar de que você está gerando uma base de clientes fiéis.

 

Em resumo:

Você precisa de atrair visitantes para um lugar que consegue gerar convencimento. Ou seja: você precisa de gerar tráfego para um site. Ou precisa levar sua mensagem em um carro de som. Ou veicular a sua mensagem pela TV. Tanto faz… apesar de que, nesse caso, vamos nos ater à primeira opção, pelas facilidades e menores custos.

Depois de atrair e convencer (se mostrando como uma boa opção para resolver um problema do paciente), chega a hora de atender, encantar e fidelizar. Demonstrar cuidado. E a tecnologia também pode ajudar e muito nesse momento: enviar um e-mail para um diabético perguntando se ele está seguindo a dieta; ou mesmo um SMS perguntando como está a mãe de um paciente que estava internada no dia da consulta. Muito mais do que estratégia de marketing ou relacionamento, são ações que aumentam a confiança e a adesão ao tratamento proposto.

 

Em última instância, chega a hora de fazer tudo isso funcionar de forma automática: sem que você gasta sequer um ATP para fazer essa roda girar.

 

Imagine o cenário:

Você tem um único trabalho que é manter o seu site atualizado, pelo menos 1x a cada 15 dias. Você escreve, por exemplo, um artigo sobre determinado tratamento que faz no consultório, explicando detalhes sobre o procedimento e colocando um link para seu site principal, para aqueles que quiserem conhecer mais sobre o assunto.

Só de criar o artigo, uma automação dispara um e-mail avisando que seu site foi atualizado. E esse e-mail só é disparado para seus pacientes que desejaram receber atualizações sobre aquela sessão ou para aqueles que você mesmo marcou que deseja atualizar quando publicar um artigo naquela categoria do blog.

Aos poucos, pelo volume de conteúdos que seu site gera, o Google passa a entender que aquela é uma boa fonte de informações para pacientes que buscam por aquele assunto. E seu site passa, aos poucos, a ser melhor ranqueado nas procuras.

Isso vai gerar um alto volume de tráfego para seu site, espontâneo (sem custo adicional por isso). Você vai começar a notar que pacientes começam a chegar porque te encontraram na internet.

Você faz o atendimento e, ao final do mesmo, já direciona o que vai acontecer do ponto de vista de relacionamento com o paciente: pode ser que você identifique que o paciente está obeso e precisa de mais informações sobre o assunto… então, você simplesmente programa o seu sistema para disparar uma sequência de e-mails informativos, que você já havia criado, nos dias determinados por você.

No último e-mail, 3 meses depois da consulta, há um link para o agendamento online de uma nova avaliação no seu consultório.

Se você sente que está com o consultório vazio, ao invés de deixar apenas na mão do Google o ranqueamento e divulgação espontânea do seu site, você pode divulgar (sinônimo para patrocinar ou comprar anúncios) seus artigos que contém links para a página inicial ou mesmo o site principal, com objetivo de gerar conversões.

Com o tempo, você vai acabar notando que o melhor caminho é sempre o mais longo: o que educa o paciente antes de sugerir que ele agende uma consulta. O que leva informações antes de cobrar comprometimento com um tratamento. O que respeita o estágio de decisão do paciente e não empurra um serviço.

Mas você vai notar também, por outro lado, que seus investimentos são diretamente proporcionais aos seus resultados. Se quer crescer mais rápido, basta aumentar os investimentos dentro de uma estratégia que já funciona. Se deseja desacelerar, basta cortar os anúncios.

 

Simples assim, você vai conseguir operacionalizar o seu negócio e estruturar a sua estratégia de marketing.

 

Esse é um dos modelos de marketing para consultórios e, em nossa opinião, o que mais funciona. Esse é o Inbound Marketing, ou marketing interno, ou… como preferimos por aqui: marketing que educa e que não é chato. É o marketing que leva informações e respeita o cliente. Se ele quer os seus serviços, ótimo! Se não quer ainda, sem problemas! Leve informações e leve saúde!

Poderíamos, também, fazer o oposto (Outbound Marketing): um marketing direto, com campanhas objetivas (“Agende sua consulta agora!”), que também dariam resultados.

 

No entanto, a grande vantagem do primeiro modelo é que trabalharíamos sempre uma base grande de usuários e teríamos uma marca mais sólida. Mais pacientes em contato com o nosso negócio e mais oportunidades de negócio, com o mesmo investimento.

 

Para colocar tudo isso em prática, você vai precisar de suporte ferramental, não há dúvidas. Existem opções gratuitas para algumas partes e algumas soluções para outras. O iMedicina é uma plataforma completa para operacionalizar o Inbound Marketing de clínicas e consultórios e vamos te apresentá-la como uma das soluções ao longo dos demais textos. Mas existem opções gratuitas para cada uma delas… logo, capital não é um problema para começar. Considere essas ferramentas como um investimento!

Se quiser testar o iMedicina enquanto lê essa série de textos, isso vai te ajudar muito a entender, na prática, como tudo o que estamos falando funciona! Para fazer um teste gratuito do iMedicina, acesse nossa página inicial nesse link aqui, conheça mais sobre o sistema e clique para testar.

Ou use esse link para ir direto para a página de testes gratuitos. 

Passe pelos cadastros e só depois vá para o segundo artigo dessa série!

Conta simples: se uma ferramenta para operacionalizar todo o seu marketing te custa R$800,00 por mês, mas te gera R$1600,00 por mês em consultas e procedimentos… é um ótimo investimento!

Logo, para operacionalizar essa estratégia, vamos ao primeiro passo proposto: presença digital.