Branding: 3 ações para consolidar a marca do consultório

Tempo de leitura: 7 minutos

Você já ouviu falar em branding para consultórios?

Embora não tenha tradução exata para o português, o termo inglês “branding” geralmente é tomado como “construção ou gestão de marca”. Na prática, o conceito assume um sentido bastante amplo: muito mais do que promover a criação de uma marca em seu aspecto puramente visual (remetendo, em especial, à forte ideia que temos de uma logomarca), também envolve a  transmissão da essência e dos valores de uma empresa ou entidade para o mercado.

A ideia pode causar estranhamento à primeira vista (“desde quando consultório tem marca?” é uma reação frequente por parte dos profissionais). Tenha consciência, porém, de que seu local de atendimento de fato tem uma marca, mesmo que você nunca tenha pretendido criá-la!

A ideia de uma “marca”, afinal, se aplica a qualquer tipo de instituição ou organização. Em alguns casos, podemos até falar em marcas aplicadas a pessoas. Em meio a todo esse cenário, o branding nada mais é do que a construção da imagem transmitida por um determinado estabelecimento – e, independentemente de qualquer esforço (ou negligência) da sua parte, seu consultório ou clínica propaga uma imagem pela qual você deve zelar.

No caso do consultório médico, a ideia de branding faz todo o sentido quando falamos da construção de autoridade na sua especialidade de atuação. E se, na região em que você atende, o seu nome viesse à mente de grande parte das pessoas por ocasião de dúvidas de saúde, necessidade de consulta, indicação para conhecidos ou interesse por procedimentos na sua área? Fantástico, não é mesmo?

Lançar mão de uma gestão adequada e estratégica nesse sentido possibilita a transmissão do imaginário ideal que se deseja disseminar para o público-alvo e o mercado como um todo. Trata-se de uma série de ações especialmente elaboradas para criar uma percepção de valor positiva no cliente, fortalecendo e fixando seu nome e seu trabalho na mente do público.

A seguir, listamos 3 ações de branding para consolidar a marca do seu consultório!

1. Design da informação: aposte em uma identidade visual sólida

Quando você pensa em marcas, o que vem à sua cabeça? Muito provavelmente o logotipo, as cores e mesmo as sensações ou impressões intangíveis associadas a uma determinada companhia. Se, com a menção de algum nicho de mercado, alguns nomes e imagens de organizações são imediatamente resgatados pelo público, isso significa nada menos que elas fizeram um bom trabalho de branding.

Além dos valores e percepções de marca abstratos dos quais falaremos mais adiante, investir na construção de uma identidade visual sólida para o consultório ou clínica é uma etapa-chave do processo.

Com o intuito de repassar ao público uma imagem de comprometimento, seriedade e confiabilidade, todos os canais de informação e materiais gráficos do consultório devem seguir um padrão coerente com a missão e os valores da clínica, o que envolve fatores como logotipo, esquema de cores, tipografia e presença digital. Além disso, um site médico responsivo e adequado às regras de design definidas é mais do que indispensável enquanto ação de branding médico.

A formulação dessa etapa visual da marca deve considerar as particularidades do seu atendimento, visando estabelecer uma imagem única que o diferencie da concorrência e o torne reconhecível e inconfundível perante o público. Em outras palavras, trata-se de verdadeiramente marcar presença.

Esse padrão imagético deve constar no site médico, nas mídias sociais profissionais, na impressão para os materiais de receituário, na placa do local e em todos os demais veículos oficiais do consultório.

2. Trabalhe na percepção de valor do seu paciente

Para além dos aspectos visuais, o branding abrange outro elemento tão imprescindível quanto intangível: a percepção de valor positiva do público.

A regra de ouro, nesse sentido, é alinhar a missão e os valores estabelecidos para o consultório com o trabalho de rotina efetivamente realizado. Trata-se de transformar o discurso em prática, oferecer exatamente o atendimento que você divulga ou promove.

Se a mensagem que você comunica como pilar do seu consultório diz respeito, por exemplo, à inovação e praticidade, é interessante oferecer recursos como agendamento online 24h e interação com o paciente via e-mail, por exemplo.

Nessa linha de pensamento, um pediatra que divulgue seu trabalho baseado no conceito de disponibilidade constante para os pais dos seus pacientes (e aposte nesse conceito como diferencial) não pode se furtar a responder mensagens ou telefonemas fora do horário convencional de atendimento. De outra forma, certamente criará uma percepção negativa.

Outro elemento que compõe essa percepção intangível do valor do serviço oferecido (ou o que se chama de compreensão subjetiva da marca) diz respeito à própria conduta do profissional na relação com seus pacientes.

Dedicação durante o atendimento; paciência, atenção e empatia ao escutar as queixas e preocupações do paciente; pontualidade; equipe bem treinada e solícita; sensibilidade no tratamento de questões delicadas de saúde e também o cultivo do relacionamento pós-consulta com o público são fatores fundamentais para a consolidação de uma percepção positiva de valor do seu trabalho.

A relação pós-atendimento com o paciente, inclusive, está cada vez mais ao alcance da mão, simples e rápida com as ferramentas de interação disponíveis. Uma estratégia básica de e-mail marketing já consegue te manter em contato com seu paciente de forma personalizada e próxima.

Mais uma vez, é ilustrada a tática de branding: manter-se “vivo” na memória do seu paciente também consolida a marca e a percepção positiva do seu consultório.

3. Marketing de conteúdo: construa autoridade

A construção de uma marca forte e bem posicionada para o consultório demanda o investimento em um valor essencial quando se trata do segmento médico: autoridade.

Autoridade, aqui, tem a ver com se posicionar como referência em um determinado campo de atuação, fomentando a ideia de credibilidade associada ao seu nome e aos seus serviços.

Para isso, investir em marketing de conteúdo é uma ação mais que eficaz. Ao produzir, publicar e divulgar conteúdo de saúde relevante e de qualidade na web, você consegue atrair, engajar e fidelizar pacientes. Além, é claro, de divulgar conhecimento técnico de forma ética e contribuir para a disseminação da informação de saúde.

Dados sobre prevenção de doenças, tratamentos, procedimentos e demais orientações relativas à sua especialidade são só alguns exemplos de pautas úteis e relevantes a abordar.

Manter o blog e as mídias sociais atualizados com novos artigos é barato, eficiente e mensurável (com ferramentas específicas disponíveis na internet, é possível verificar exatamente quantas pessoas acessaram seu conteúdo e o tempo que elas permaneceram na página).

Por fim, lembre-se de manter a consistência na publicação e na divulgação do conteúdo. Sem constância e planejamento, é difícil conquistar resultados. A gestão de marcas ou branding, no mais, é um processo dinâmico, sempre mutável de acordo com as demandas internas e externas da empresa, clínica ou consultório.

E você? Já tinha ouvido falar no termo? Ficou com alguma dúvida após a leitura do texto? Já pratica alguma das ações listadas acima? Compartilhe com a gente nos comentários!