Como a secretaria de saúde do meu estado pode me auxiliar como médico?

Tempo de leitura: 9 minutos

Inovação: o que a Secretaria de Saúde pode fazer para melhorar o trabalho do médico

A melhoria contínua dos serviços públicos de saúde é uma das principais necessidades da população e dos profissionais que atuam no setor. Por esta razão, a Secretaria de Saúde deve se esforçar ao máximo para elevar o grau de eficiência e eficácia da gestão de todos os serviços, desde a atenção básica até os serviços de média e alta complexidade. Naturalmente, quando se fala de saúde pública, o médico é o principal agente. Afinal, o médico é o responsável pelo atendimento ao paciente. Portanto, a Secretaria de Saúde deve se preocupar em melhorar as condições de trabalho para que os médicos trabalhem com tranquilidade, dando o máximo de atenção aos pacientes.

Os médicos que trabalham na rede pública de saúde vivem uma rotina bastante atribulada. O fluxo de pacientes é intenso nas unidades básicas, nos serviços de especialidades médicas, nos pronto socorros e nos hospitais. As demandas são volumosas e, na maioria das cidades, os investimentos em infraestrutura, recursos humanos, equipamentos, insumos e tecnologias não correspondem às necessidades que os médicos têm para prestar o melhor atendimento aos pacientes, desde a consulta inicial até o fim do tratamento. Este é um assunto que está sempre em pauta, uma vez que a modernização dos serviços públicos ainda caminha a passos lentos.

Em pleno século 21, com tantas inovações tecnológicas e a globalização da comunicação através da internet, o grau de informatização dos serviços públicos ainda é mínimo em uma secretaria de saúde. A burocracia é imensa e os procedimentos são lentos, uma vez que os profissionais são obrigados a preencher manualmente uma infinidade de documentos. Os arquivos ocupam muito espaço e, geralmente, esses locais não são apropriados para garantir a conservação e proteção dos documentos.

Este atraso tecnológico gera muitos transtornos aos profissionais da saúde e aos usuários do sistema, além dos custos elevados com despesas operacionais, que poderiam ser reduzidas com a implementação de tecnologias que facilitam o gerenciamento de informações, produção, logística, estoques de medicamentos e outros insumos e agendamento de consultas e exames.

Gasta-se também mais tempo a procura de prontuários para verificar o histórico de um paciente. Quando o paciente é atendido em um centro de especialidades, em um pronto-socorro ou em um hospital, o médico não tem acesso imediato ao prontuário pela falta de um sistema informatizado integrado que possibilite o compartilhamento de informações entre os profissionais da rede pública.

Pacientes também sofrem. São obrigados a enfrentar filas enormes para marcar consultas ou exames. Como os formulários são manuscritos, o tempo de atendimento é maior. Deslocam-se de uma unidade para outra, quando precisam fazer um agendamento em unidade especializada ou laboratório e requisitar medicamentos, sem ao menos ter a certeza de que a farmácia dispõe da medicação prescrita pelo médico. O próprio médico não sabe se a medicação está disponível, pois não tem como acessar o banco de dados do almoxarifado central de medicamentos.

Como mudar este cenário e melhorar a qualidade de atendimento na rede pública de saúde? Algumas intervenções exigem um volume maior de verbas e também um prazo mais longo para concretizar os projetos. No entanto, há problemas que podem ser solucionados em curto ou médio prazo e que não necessitam de um grande montante de recursos financeiros. Uma dessas medidas é a modernização da rede pública de saúde, com a implementação de tecnologias e sistemas de informações para otimizar os processos gerenciais.

Ao implantar sistemas informatizados integrados em unidades de saúde, a Secretaria de Saúde terá um banco de dados muito mais completo sobre os atendimentos realizados em cada cidade. Estas informações são essenciais para fundamentar as diretrizes orçamentárias do governo, alocando os recursos necessários conforme as demandas em cada localidade.

Tecnologias para a Secretaria de Saúde

O que a Secretaria de Saúde poderia fazer para otimizar o trabalho dos médicos? Uma medida necessária é a implantação de uma rede digital integrada de serviços de saúde, interligando todas as unidades. Com isso, a Secretaria de Saúde poderá investir em modernos softwares de gestão administrativa e financeira. A partir do momento em que o atendimento se tornar on-line, haverá um ganho maior em produtividade e o acesso às informações será muito mais rápido. No consultório, o médico tem que trabalhar com absoluta tranquilidade e concentração.

A iMedicina desenvolveu soluções inteligentes, que poderão otimizar o trabalho dos médicos. Com este software, a agenda dos médicos ficará muito mais organizada. O prontuário eletrônico e o compartilhamento de dados tornarão muito mais ágil o registro e o acesso às informações. Ao receber o paciente em seu consultório, o médico terá condições para acessar todo histórico – problemas de saúde anteriores, em quais unidades já foi atendido, os exames realizados, procedimentos cirúrgicos e diversas outras informações que auxiliam no diagnóstico.

Outro aspecto relevante do prontuário eletrônico é que o médico poderá escolher o modelo mais adequado ao caso que está atendendo. Também é possível incluir tags de marcação para identificar grupos de pacientes como, por exemplo, um caso de hipertensão: #hipertensao, para gerar dados estatísticos sobre diagnósticos.

Há também o recurso de gerenciamento de tarefas que permite acompanhar a execução de procedimentos prescritos ao paciente, como atendimentos no setor de raios-X, medicação, inalação, sutura, entre outros.

Investindo em tecnologias de informação e gestão, a Secretaria de Saúde agiliza o trabalho dos médicos e faz um acompanhamento mais efetivo dos atendimentos. A Secretaria de Saúde, inclusive, poderá gerar relatórios e gráficos de agendamentos, consultas, encaminhamentos a exames e outros procedimentos solicitados pelo médico.

Agenda eletrônica

Este recurso possibilita à Secretaria de Saúde acesso rápido ao cronograma de atendimentos dos médicos em cada unidade. Para os médicos, a funcionalidade também é de grande valia, pois dá para verificar os agendamentos diários, semanais e mensais e os plantões. Quando é necessário alterar o quadro, a agenda é atualizada instantaneamente, sem a necessidade de enviar memorandos aos médicos ou fazer contato telefônico. Com a agenda eletrônica, elimina-se os “ruídos de comunicação” que comprometem o trabalho. É um sistema prático, versátil, que confere mais agilidade e organização ao trabalho do médico. A qualquer momento, o médico poderá confirmar sua agenda de trabalho da semana ou do mês.

Envio de SMS

Aliar o agendamento online ao envio de SMS contribui para a redução do número de faltas às consultas e exames. Na rede pública, o tempo de espera é demorado. O paciente aguarda cerca de 30 dias para passar por uma consulta ou muito mais tempo quando precisa de exames mais complexos. Com isso, há sempre o risco de esquecer a data em que deve comparecer à unidade de atendimento. A plataforma de agendamento online possibilita a integração com o SMS, enviado automaticamente ao paciente cadastrado. A abstenção pode diminuir em até 30%.

Além disso, a Secretaria de Saúde pode aproveitar o SMS em estratégias de saúde preventiva, enviando mensagens aos usuários cadastrados sobre campanhas de saúde, como períodos de vacinação, Outubro Rosa (câncer de mama) e Novembro Azul (câncer de próstata). Também é possível enviar aos médicos comunicados mais urgentes.

Prontuário eletrônico e gestão moderna

O prontuário eletrônico substitui as tradicionais planilhas manuscritas de atendimento. Dessa forma, é possível reduzir gastos com papéis e a ocupação de espaços com arquivos abarrotados de pastas. Além disso, sempre é possível corrigir erros de preenchimento, sem rasura, o que só é possível quando o documento é digitado. Sem contar que os formulários ficam legíveis para todos e não apenas às pessoas que aprenderam a compreender a “letra de médico”.

Com o prontuário eletrônico, sempre que o paciente passa por consulta, exame ou outro procedimento, o prontuário eletrônico é atualizado pelo médico responsável pelo atendimento, o qual lançará os dados levantados durante a consulta, medicamentos prescritos, exames solicitados e outros encaminhamentos.

Melhorar a qualidade de atendimento no sistema público de saúde é um grande desafio, principalmente quando a receita financeira não evolui na mesma proporção que a demanda de atendimentos. Porém, a Secretaria de Saúde pode, com baixo investimento, adotar medidas para aumentar a eficiência dos serviços. Para isso, é essencial substituir procedimentos morosos e excessivamente burocráticos que travam os fluxos de trabalho por soluções mais adequadas. As tecnologias são desenvolvidas com este objetivo – otimizar a gestão em todos os setores que compõem uma organização.

Com os recursos do iMedicina, a Secretaria de Saúde proporcionará mais agilidade ao trabalho dos médicos, sejam estes do programa Saúde da Família, plantonistas das unidades de urgência e emergência, como as UPAS, equipe de especialistas e cirurgiões. Com alguns cliques, o profissional terá acesso ao histórico do paciente, por meio do prontuário eletrônico, e, assim, fazer uma avaliação mais completa, com base em atendimentos anteriores. É muito mais prático e rápido para o profissional.

O médico enfrenta uma longa jornada de trabalho, sendo que, em muitos casos, trabalha em duas ou mais cidades. Por isso, é importante que possa contar com as facilidades que a tecnologia proporciona. No mundo, mais de 70% dos médicos já trabalham em consultórios informatizados, conectados à internet e interligados a uma rede de serviços. O cenário no Brasil ainda está longe do ideal. Cabe à Secretaria de Saúde buscar estas inovações.

Gostou deste artigo? Confira outros textos em nosso blog!