Como conferir mais credibilidade aos processos de telemedicina?

Tempo de leitura: 3 minutos

Oferecer assistência e cuidado à saúde a distância resume o principal objetivo da telemedicina. Mas é claro que vendê-la, com estes dizeres, está longe de ser uma tarefa simples. Apesar de ser implementada já há mais de um século, muitos são os indivíduos que ainda não veem a telemedicina com total credibilidade. Por que será que isso acontece e como é possível mudar esse cenário?

Neste artigo, saiba como conferir mais credibilidade aos processos de telemedicina de sua clínica ou laboratório.

Não poupe informações para os pacientes

Se você quer que os pacientes confiem neste segmento que veio para ficar, é necessário explicá-lo com todas as letras e da forma mais simples e intuitiva possível.

Comece mostrando ao paciente que essa tecnologia não está aí para roubar o espaço da medicina, mas pelo contrário: visa complementá-la.

Muitos indivíduos ainda desconfiam da eficácia da telemedicina pela crença de que, em um futuro próximo, todo e qualquer serviço médico será prestado à distância, o que é um grande equívoco. É claro que muitos atendimentos continuarão sendo realizados presencialmente, o que dependerá, principalmente, da análise do laudo a distância por um médico especialista (um dos principais carros chefes da telemedicina).

Com o laudo à distância, será possível concluir como vai a saúde do indivíduo. Isso significa que ele pode ser dispensado (caso não haja nada a ser tratado/investigado) como também pode ser solicitada a sua presença em uma consulta presencial com um médico especialista, caso alguma anormalidade tenha sido detectada.

Portanto, a telemedicina surgiu e tem como principal objetivo facilitar, tanto para aqueles que serão dispensados após o laudo, como também para os pacientes que precisarão de acompanhamento e tratamento (seja ele a distância para casos mais simples ou presencial para casos médicos mais complexos).

Fazer com que os pacientes tenham noção da complexidade da telemedicina antes mesmo de precisarem dela é, portanto, a melhor forma de conferir mais credibilidade para tais processos.

Sobre a regulação

Manter os pacientes informados sobre a regulação da telemedicina também é uma forma eficaz de fazer com que a vertente seja vista com maior credibilidade.

O primeiro e principal órgão regulamentador da telemedicina é a American Telemedicine Association (Associação Americana de Telemedicina, em tradução literal).

No Brasil, a empresa e/ou clínica que presta serviços no segmento de telemedicina deve ter um médico técnico responsável e com registro no conselho regional de medicina de seu estado de atuação (como é o caso do CREMESP para os médicos/clínicas e instituições residentes no estado de São Paulo).

Traduzir essas informações de modo simples e intuitivo para os pacientes é, certamente, uma maneira de fazer com que eles compreendam que essa tecnologia atua com eficácia, regulamento e padronização em todo o país.

Depois de conhecer alguns dos pontos que podem gerar maior credibilidade para os processos de telemedicina, você também pode estar interessado em outros artigos referentes ao assunto. Para acessá-los, faça uma visita completa ao nosso blog e saiba mais.