Como ser um médico conveniado com a Amil?

Tempo de leitura: 3 minutos

Em pleno contexto de crise econômica no Brasil e elevada concorrência no mercado de saúde, atender por convênios médicos pode ser uma alternativa. A opção ajuda a atrair uma parcela de pacientes que não chegariam até a clínica se não fosse pelo plano. Por isso, esta ferramenta é fundamental para quem está começando na carreira, mas também faz parte da rotina de profissionais com anos de trabalho e nome consolidado.

Atualmente são dezenas de operadoras no país que oferecem o serviço de convênio médico. A Amil, que trataremos nesse artigo, foi fundada no Rio de Janeiro na década de 1970 e já é a maior empresa de medicina de grupo no Brasil, de acordo com dados da Agência Nacional de Saúde (ANS). A Amil é credenciada com mais de 2 mil hospitais em todo o país, além de 35 mil consultórios e clínicas e em torno de 6 mil laboratórios para a realização de exames e diagnóstico. Ao todo, cerca de 21 mil colaboradores fazem parte da empresa.

Como tornar-se um credenciado?

Para tornar-se um credenciado, o primeiro passo é entrar em contato diretamente com a Amil, que irá transmitir as informações referentes ao procedimento de cadastro no convênio médico. De qualquer forma, é comum que o pedido deva ser formalizado, bastando acessar a homepage da empresa e preencher as informações no link “seja nosso credenciado”.

Neste documento, o médico deve informar se é pessoa física ou jurídica. No primeiro caso, é necessário preencher informações pessoais, endereço de atendimento, área de especialidade médica, informações acadêmicas e histórico profissional. Já no segundo, para credenciar a clínica, que é pessoa jurídica, além dos dados anteriores deve-se informar também todos os atendimentos e serviços oferecidos, bem como os equipamentos disponíveis.

Para a clínica, também será necessário enviar uma série de documentos para a Amil, como o Contrato Social ou a ata de constituição do consultório médico, o cartão de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), a inscrição ativa no Conselho Regional de Medicina (CRM), um comprovante da conta bancária da empresa para os repasses financeiros, o alvará da vigilância sanitária, informações profissionais do responsável pelo consultório, e outras informações de imposto de renda.

Quais as vantagens e desvantagens de um convênio médico?

A principal reclamação de médicos credenciados a planos de saúde é sobre a remuneração. O valor pago pelos convênios médicos às clínicas por cada paciente atendido é muito abaixo do valor praticado no caso de consultas particulares. Há ainda profissionais que reclamem da interferência na autonomia do médico sobre os exames e tratamentos necessários, e por vezes atrasos no pagamento. Além disso, a burocracia exigida dificulta a rotina do consultório e exige uma reestruturação de toda a parte operacional.

Porém, os convênios ajudam, sim, a divulgar o nome do espaço e do médico, e assim ocupar a agenda e ampliar a cartela de clientes. Esse fator é relevante principalmente para profissionais em início de carreira, ou que mudaram de cidade, ou ainda que estão expandindo as áreas de atendimento e serviços do consultório e precisam de divulgação. Adicionalmente, existe também a possibilidade de pacientes que chegaram pelo convênio acabarem necessitando de tratamentos que o plano não cobre, e assim, retornam com uma consulta particular, ou ainda indicam o atendimento para terceiros.

Quer saber mais sobre convênios médicos? Leia outros artigos em nossa página!