Estudos médicos mais importantes dos últimos tempos

Tempo de leitura: 3 minutos

Estudos médicos mais importantes dos últimos tempos

A medicina não para de encontrar novas oportunidades que contribuam com a melhoria das vidas humanas. A cada instante, milhares de médicos e especialistas desenvolvem pesquisas que possuem uma única finalidade: Melhorar o nosso dia a dia! Talvez se pensássemos mais a fundo veríamos que diariamente acontecem incríveis descobertas dentro desta área, avanços que merecem ser destaque nas manchetes mundiais, não é mesmo?

Neste artigo relacionamos apenas alguns poucos estudos que já se tornaram conhecidos pela sociedade em geral. Todos eles são bem recentes, tendo acontecido entre os dois últimos anos. Veja:

Destaques dos estudos médicos de 2015

• Resistência humana aos antibióticos
Você já parou para pensar como seria a sua vida sem o uso de antibióticos? Provavelmente não, afinal, só pensamos neles quando estamos acometidos por alguma doença. Acontece que a medicina passou algumas décadas sem conseguir desenvolver novas fórmulas, preocupando a todos visto que os antibióticos que já existem estão se tornando ineficientes no combate a algumas bactérias.

O estudo médico que encontrou este remédio aliviou a toda a comunidade da área que já chegava a falar sobre uma “era pós-antibiótico” na terra.

• Realização de transplantes
O ano de 2015 também ficou marcado na medicina mundial devido a realização do primeiro transplante mais completo de rosto em toda a história. O bombeiro americano Patrick Hardison recebeu orelhas, pálpebras e até mesmo couro cabeludo nas 26 horas em que em que esteve em cirurgia. Também foi neste mesmo ano que outro homem passou por um transplante de crânio.

• Estudos médicos sobre a demência
A doença de Alzheimer é uma das grandes preocupações médicas dentro da geriatria, ou seja, entre as pessoas mais idosas. Comum entre muitos que chegam à idade avançada, inúmeros estudos procuram solucionar esta que é uma questão tão grave.

Em 2015 passos importantes foram dados nestas pesquisas e alguns detalhes, de possíveis medicamentos que poderiam reduzir o aparecimento da doença, foram desvendados. Apesar da dificuldade, e possível incapacidade da medicina em interromper a morte dos neurônios humanos, alguns remédios poderão melhorar a vida dos pacientes acometidos por esta doença.

Estudos médicos que importantes de 2016

• Avanços nas descobertas sobre a microcefalia
A microcefalia é uma resposta trágica a contaminação pelo zika vírus, doença transmitida pelo mesmo mosquito da dengue e que ganhou destaque nos últimos dois anos graças ao surto sofrido no Brasil. Todos os estudos médicos acerca desta enfermidade, que atinge principalmente fetos e recém-nascidos, são novos e há muito que se explorar.

Por enquanto não se sabe quais são os meios de evitar tal contaminação e nem como tratar adequadamente os infectados, principalmente as gestantes, mas as pesquisas não param a fim de encontrar respostas mais esperançosas para a sociedade.

• Mais tempo antes de cortar o cordão umbilical
Outro estudo médico de destaque no ano de 2016 veio dos Estados Unidos e relaciona a importância em não cortar o cordão umbilical tão rápido após o nascimento e a mortalidade desses recém-nascidos. De acordo com a pesquisadora, esperar mais 45 segundos antes de cortar este laço entre bebê e mãe pode diminuir as possibilidades de hemorragia cerebral na criança, principalmente ente os prematuros.

Você já conhecia os estudos médicos citados neste artigo? Quer ter acesso a mais conteúdos interessantes como este? Aproveite para acessar nosso blog e veja outros inúmeros conteúdos como este!