Fenan: Federação Nacional dos Médicos – conheça o órgão

Tempo de leitura: 3 minutos

Fenam: Federação Nacional dos Médicos – conheça o órgão

O Fenam, sigla para Federação Nacional dos Médicos, foi criado para defender os direitos dos profissionais de medicina em diversas instâncias, como condições de trabalho, remuneração, melhoria na qualificação profissional, reconhecimento entre outros.

Ela criou sindicatos médicos por todo o país e conseguindo realizar uma das tarefas mais difíceis, que é de unificar a categoria. Mesmo com muito trabalho a se fazer e tantas dificuldades, é difícil pensar em como estaria a profissão sem o seu suporte.

A Criação

Antes da criação da Fenam, em 1973, o Brasil possuía apenas seis representações sindicais de médicos, nos Estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Minas Gerais e Pernambuco. E apesar da situação política do país na ocasião, os dirigentes desses sindicatos desejavam que uma entidade fosse centralizadora, para ter força o suficiente para lutar pela categoria em todo país.

Após dois anos de sua fundação, a Fenam recebeu a Carta de Reconhecimento do Ministério do Trabalho, oficializando o grupo diante do governo federal. Ainda nos primeiros dez anos, a entidade fundou mais 24 sindicatos médicos espalhados em território nacional e adquiriu sua sede própria, no Rio de Janeiro.

Por meio de seu trabalho, a Federação conseguiu unificar as associações, sindicatos e conselhos, que viviam em divergências, para lutar por melhor piso salarial, que antes não possuía correções, além da busca para maior qualificação dos profissionais que se formavam. A união dos médicos serviu de exemplo para que outras categorias profissionais também se unissem mais e buscassem seus direitos.

A equipe

A atual diretoria foi eleita durante o XII Congresso Fenam, em 2015. Na ocasião, foram eleitos presidente e vice-presidente, que decidiram dividir a direção, cabendo a cada um o período de 18 meses. Presidentes do sindicato do ES e presidente do sindicado do RJ, respectivamente, junto a eles também foram eleitos para outros cargos, presidentes dos sindicados de Amazonas, do Rio Grande do Norte, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Minas Gerais, Bahia, Goiás e São Paulo, além do primeiro secretário da ABP, Associação Brasileira de Psicologia.

A Fenam possui informativo, blog e assessoria de imprensa, que estreitam a comunicação entre seus associados e a mídia, abastecendo-os de notícias relevantes sobre o ramo, entrevistas, histórias reais com médicos e que servem de reflexão para os leitores, artigos médicos e científicos, fóruns de debates, comunicados etc.

Perspectivas

Apesar da força e do empenho da Fenam, ainda há muita coisa a ser feita para a categoria. A proporção do que se espera de um médico é muito distante do que se oferece a ele, principalmente na área pública, onde as dificuldades de se exercer da melhor forma a profissão são gritantes. Criou-se um conceito equivocado de que o médico é uma espécie de Deus, como além de seu conhecimento e talento, possuísse dons milagrosos, que os tornam muito suscetíveis a cobranças e a violência.

Até mesmo os salários estão longe do ideal, pela qualificação e responsabilidade do médico, mas a luta de todos permanece firme por melhores condições e qualidade de trabalho.