Posso trabalhar com telemedicina e medicina convencional ao mesmo tempo?

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já ouviu falar em telemedicina, mas não sabe se pode trabalhar com a medicina convencional ao mesmo tempo? Saiba mais sobre o tema e decida você mesmo sobre qual cenário é melhor para a sua atuação médica.

O que é telemedicina

A telemedicina é uma tendência tecnológica da transformação digital na medicina. O recurso possibilita fornecer e receber informações médicas sobre pacientes e equipes de saúde que normalmente estão a centenas de quilômetros e também promover comunicação à distância.

Tele, aliás, é um termo grego relacionado a distância e afastamento, por isso, inclui a medicina realizada nesta modalidade.

Existe toda uma previsão legal para a prática da telemedicina, regida pela Resolução 1.643/2002. Uma das recomendações do Conselho Federal de Medicina diz respeito, por exemplo, à qualidade de informação recebida e às decisões médicas.

O médico só pode dar opiniões e recomendações via telemedicina caso tenha recebido informações suficientes para emitir parecer.

Como a telemedicina pode contribuir para seu trabalho

A telemedicina, além de ser usada para obter e prestar informações sobre pacientes, também é utilizada para a realização de treinamentos e educação à distância.

Outra forma de utilização é quando é necessária uma segunda opinião médica, mesmo que o colega esteja em outra cidade ou até mesmo em outro país. Muitas vezes, é preciso consultar um outro especialista que não está próximo e assim a necessidade é resolvida.

Os recursos da telemedicina também permitem troca de informações entre instituições médicas e profissionais na discussão de casos clínicos, muito útil para doenças raras. É possível acessar e entregar resultados de exames médicos via telemedicina e realizar a análise dessas respostas e diagnósticos.

O paciente tratado via telemedicina ganha em função da relação entre tempo e distância. Até mesmo a redução de riscos, como infecções hospitalares, está entre as vantagens. Da mesma forma, ganha o médico, que pode atender não apenas os pacientes presenciais. O profissional também pode utilizar o meio para atualizações e para ouvir colegas.

Outra realidade tecnológica são as consultas em vídeo e o homecare. São formas de atenção ao paciente com alta tendência beneficiadas pelo uso da telemedicina. A relação médico e paciente pode ter um diferencial que, bem utilizado, pode resultar em maior aproximação e melhores resultados.

Ao evitar a ida de pacientes a clínicas e hospitais, o sistema também é desafogado, aumentando o acesso para casos de emergência e com necessidade de atendimento presencial.

A maior troca de informações entre profissionais também resulta em mais integração e pode ter como retorno avanços importantes para a área de pesquisa médica, ao dividir informações entre colegas.

Laudos e exames podem ser acessados de qualquer lugar com equipamentos simples, como tablets, e permitem resposta de onde você estiver, mesmo que esteja ausente, em férias ou participando de congressos que exijam a sua presença. Sendo sua opinião demandada, bastará acessar o sistema.

É possível, portanto, ter ambas as práticas atuando em conjunto: a telemedicina e a medicina convencional, seja direcionando o uso dos recursos apenas para treinamento e educação ou ampliando para todos os benefícios oferecidos pela tecnologia.

Continue lendo outros artigos sobre esse assunto em nosso blog!