Psicologia x psiquiatria: encontros e divergências entre as duas áreas

structure

A psicologia e a psiquiatria são duas áreas da saúde mental que se complementam. O acompanhamento das duas técnicas para pacientes que possuem algum sinal de transtorno mental é essencial para buscar melhores alternativas de tratamento. Apesar de possuírem esses encontros, são áreas distintas que possuem divergência de técnicas e modelos terapêuticos.

Entenda quais são as principais diferenças entre psicologia e psiquiatria

Primeiramente, é preciso definir que a psicologia e a psiquiatria possuem parâmetros opostos durante a sua formação como profissional. Isso porque na graduação em psicologia, o profissional será habilitado em compreender os processos mentais e cognitivos do paciente. Tem como base de estudo compreender a memória e personalidade dos indivíduos.

O psicólogo possui o treinamento para atuar com técnicas psicodinâmicas que contribuirão para que o paciente possa se autoconhecer e, como consequência, consiga resolver os conflitos internos de comportamento e personalidade. Além disso, o profissional formado em psicologia não está permitido a medicar o paciente, pois não são habilitados a compreender as questões mentais do indivíduo e não possuem estudo sobre medicamentos, como o profissional de psiquiatria.

O psiquiatra possui graduação em medicina e posteriormente realiza residência ou especialização na área da psiquiatria. Como formação médica, o psiquiatra possui um amplo conhecimento sobre a parte biológica e física do paciente. Por isso é habilitado a diagnosticar disfunções e transtornos mentais, como por exemplo, depressão, esquizofrenia, bipolaridade e ansiedade.

O psiquiatra, por conhecer as atividades neurais e cerebrais do indivíduo, estará habilitado a prescrever os medicamentos adequados para a pessoa que está perpassando por um período de fragilidade na saúde mental. Além de que o psiquiatra na sua formação possui um amplo conhecimento sobre medicações, sabendo quais serão os efeitos que um medicamento pode causar no indivíduo que está em frase tratamento.

 Por que as duas podem ser eficientes nos tratamentos de transtornos mentais

Apesar de possuírem metodologias de tratamento e diagnósticos diferentes, são duas profissões extremamente complementares. As duas possuem como dever compreender e colaborar com a saúde mental dos indivíduos e podem ser efetivas para o tratamento completo de pacientes que possuem algum distúrbio.

Um paciente que está à procura de resolver algum transtorno mental e primeiramente resolve procurar um psicólogo terá um tratamento a fim de tentar resolver os conflitos internos de personalidade e comportamento. Caso o psicólogo entenda que apenas este tratamento não está sendo eficaz, pode encaminhar o paciente diretamente para um psiquiatra que realizará um diagnóstico do distúrbio e poderá receitar um medicamento adequado.

Como pode acontecer ao contrário. Os medicamentos não são capazes de promover a cura do paciente, apenas diminui os sintomas dos transtornos. Sendo assim, um psiquiatra pode recomendar o tratamento acompanhado de com um psicólogo. O profissional será capaz de entender o que está acontecendo com o paciente.

Dessa maneira, a psicologia e psiquiatria são atividades que se complementam. Os dois tratamentos, quando aliados, podem garantir a manutenção de uma saúde mental com mais qualidade para o paciente.

E é muito importante entender que, atualmente, a tecnologia é uma aliada fundamental para o bom desempenho nas duas áreas. Você sabia que existem softwares médicos extremamente eficazes que auxiliam na gestão do consultório de psicologia e dos pacientes? E que inclusive podem ajudá-lo na parte estratégica e no marketing do consultório? Já pensou se, no seu software médico, além de gerenciar seus pacientes, você pudesse também criar e conduzir o seu próprio site e blog?

No iMedicina nós oferecemos essa possibilidade! Conheça nossa proposta visitando a nossa página e entenda melhor como informatizar o seu consultório de psicologia e atrair novos pacientes!

Gostou desse artigo? Confira outros textos em nosso blog!

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados

O que achou? Deixe seu comentário!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.