Trabalho em meu consultório: devo me vincular a convênio médico?

Tempo de leitura: 9 minutos

Trabalhar a partir com convênio médico é um fator que divide opiniões entre os profissionais da saúde. Vale destacar, em primeiro lugar, que nenhum médico é obrigado a trabalhar para planos de saúde caso não queira. Por isso cabe a você a decisão de quais e quantos planos de saúde vale a pena atender de acordo com a sua carreira, especialidade médica e intenções.

Alguns planos pagam muito pouco por consulta, logo não vale a pena trabalhar para esses, por isso você tem o direito de escolher quais são os ideais para o seu consultório. Pense que você já estudou por seis anos na graduação e ao menos mais dois em sua especialidade médica, abriu o seu consultório próprio e precisa valorizar o seu trabalho.

Apesar do mercado de trabalho ser difícil, afinal a concorrência é bastante alta, bons profissionais sempre se destacam. Uma visão empreendedora também pode ajudar você a se destacar, seja trabalhando a partir de convênios médicos ou não. Isso dependerá da sua especialidade, do seu público, local de atendimento e inúmeros outros fatores.

Dessa maneira, por aqui você saberá como se credenciar aos convênios médicos caso deseje fazer isso, a legislação por trás desses convênios, bem como algumas questões e dicas pertinentes para que você tome a decisão de se vai atender por convênios médicos e quantos serão.

Como me vinculo a um convênio médico?

Caso você opte pelo credenciamento em um ou mais convênios médicos é necessário separar uma documentação específica.

• Cartão do CNPJ com data recente;
• Contrato social ou ata de constituição do consultório;
• Comprovação do cadastro no CNES;
• Inscrição atualizada do CCM ou ISS na prefeitura em que o consultório está;
• comprovante de pagamento do ISS e Taxa de Fiscalização do Estabelecimento;
• Alvará da vigilância sanitária atualizado;
• Inscrição do consultório no CRM;
• Relação de médicos e funcionários;
• Informações do médico responsável pelo consultório (CPF, currículo, CRM, diploma de graduação e especialização);
• Comprovante da conta bancária.

Esses são os principais documentos, mas pode ser que o plano peça por outros itens. É útil conversar com outros profissionais que já se credenciaram para tirar essa dúvida.

O credenciamento precisa ser renovado quando for estabelecido em contrato ou quando CCM ou razão social do consultório de modifiquem.

Fique atento à legislação para atuar conforme a lei e de acordo com a documentação necessária e pedida pelos convênios. Se informe com antecedência e não tenha pressa em escolher os convênios para os quais irá trabalhar e se vincular.

 

Escolha por médico não credenciado

Se você se preocupa com os pacientes que possuem plano de saúde e precisam fazer exames a partir dele, mas você não é credenciado ao mesmo plano, não se incomode. A lei assegura que, independente do seu vínculo com o plano, o paciente pode realizar os exames tranquilamente pelo plano. Assim você não deixa de atender um paciente que confia em seu trabalho nem impede que a pessoa fazer os exames pelo plano.

Segundo as normas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), pela Resolução CONSU nº 8, publicada em 4 de novembro de 1998, no artigo 2º, apresenta que na adoção de práticas de regulação de demanda e uso dos serviços de saúde é proibido negar realização de procedimentos apenas porque o profissional solicitante não pertence à rede credenciada da operadora.

Como já dissemos você não possui qualquer obrigação de se vincular a convênios médicos, por isso pode solicitar os exames e procedimentos, realizados via plano, independente do seu vínculo profissional.

Com isso o paciente escolhe o profissional que deseja, relacionando-se com ele de forma direta, ou seja, este efetua o pagamento particular. Além disso, o possível reembolso de procedimentos médicos é feito de acordo com o contrato firmado entre o usuários e o convênio, e você não tem nenhuma relação com esses fatores. Caso haja qualquer problema o correto é fazer a denúncia para o Conselho Regional de Medicina ou para a ANS.

Caso esse seja um empecilho para que você realize algum atendimento, fique tranquilo, pois há respaldo da lei em relação a esses casos.

 

Convênios médicos

Não será vantajoso atender a diversos planos de saúde, pois no geral alguns deles pagarão muito pouco por consulta para você. Isso fará com que você necessite atender muito mais pessoas, tornando a consulta superficial e não levando em conta o seu potencial.

Valorize os seus anos de estudo e, se optar pelo atendimento via convênio, escolha os que oferecem melhores condições aos médicos. Existem casos de médicos que deixaram de atender por convênio e ainda assim mantiveram 70% da sua carta de pacientes, com atendimento de maior qualidade.

Se você está em início de carreira é natural que seja menos conhecido e pense em aderir alguns planos para ganhar mais visibilidade, não há problema nisso. Além disso, o mesmo ocorre se você está acrescentando alguma especialidade médica ao seu atendimento ou mudando a especialidade primária. Pelos convênios médicos é possível acessar outros pacientes com o credenciamento.

Ao definir os convênios médicos que vai trabalhar pense em todas as despesas que possui em seu consultório, desde água, luz, internet, profissionais, manutenção, limpeza, equipamentos médicos, etc, ainda mais pelo fato de você trabalhar sozinho. Porcentagens baixas no valor da consulta com certeza não valerão a pena no final do mês ou ano certo? Logo a escolha dos convênios médicos certos é crucial para o seu sucesso.

Há casos em que o investimento em marketing digital se fez muito mais efetivo na captação de pacientes do que o vínculo com convênios médicos. Isso quebra o estigma de que para ter renome, ser reconhecido é necessário se credenciar a diversas operadoras a fim de que as pessoas te encontrem.

Isso é muito útil para os médicos em início de carreira ou que mudaram de cidade e não possuem uma carta de pacientes grande. Dessa forma se gasta menos com a prospecção dos pacientes e pode-se focar em investimentos no consultório médico.

O mais importante é que o atendimento ao paciente não decaia por conta do convênio médico. Quantas vezes ouvimos relatos de pacientes dizendo que o médico o atendeu em cinco minutos, e mal o olhou? Isso é péssimo para os profissionais da saúde bem como para a sociedade. Se atender por convênios médicos chegar a esse ponto, com certeza não vale a pena. Além disso, a probabilidade desse paciente retornar é muito baixa. Muitas vezes o dia da consulta é jogado para mais de um mês a frente, por conta da agenda apertada, o que também é ruim para os dois lados.

O fato de você atender ou não por convênios médicos não vai ditar o que as pessoas pensam, se você é um profissional bom ou ruim. O que demonstra isso é o comprometimento com o seu paciente, independente do tipo de atendimento que será realizado. Com bom atendimento é possível fidelizar os pacientes nas duas modalidades bem como conseguir com que mais pessoas te conhecem e você ganhe mais credibilidade no mercado.

A partir do momento que você possui renome da especialidade médica em que atua, por conta do bom atendimento dispensado, fica muito mais fácil adquirir mais pacientes e mais estabilidade econômica.

 

A escolha por convênios

A definição de quantos convênios médicos são ideias para você e se você deve atender por eles é exclusivamente sua. Você pode conversar com outros profissionais da área para saber as vantagens e desvantagens de cada convênio, tirar dúvida quanto aos processos burocráticos e tomar uma decisão assertiva.

Dizer que convênios médicos são bons ou ruins é algo muito decisivo e dependerá muito a suas necessidades, formação e especialidade médica. Por isso a importância de pesquisar muito antes de aderir a qualquer operadora.

Existem algumas ações e competências que podem ser úteis para o atendimento via convênios médicos. Primeiramente é preciso ter um pensamento empreendedor, e enxergar oportunidades além de ameaças. Pense que o seu paciente é o principal ponto do trabalho e resolver o seu problema deve ser central. Assim você terá um paciente satisfeito e fiel ao seu trabalho como médico.

Pense também a inovação e gestão de pessoas, conteúdos, processos que melhorem o atendimento da sua clínica. Tudo para que o seu consultório funcione de maneira sustentável, eficiente e econômica.

Outra questão é justamente investir em competência técnica, ampliando conhecimentos, habilidades, suas e da sua equipe. Aliar produtividade com qualidade também é crucial, associando o bom atendimento com lucratividade real. Além disso, você também pode negociar com as operadoras e não aceitar as propostas feitas. Isso vale para os convênios médicos e para todos os outros fornecedores os quais você tem contato.

A partir de ações positivas você poderá ter sucesso em seu consultório, mesmo trabalhando sozinho no consultório médico. Basta continuar o seu processo de aprendizado, bom atendimento, marketing e gestão a fim de sempre possui clientes fiéis e satisfeitos com o seu trabalho.

Deseja acessar mais conteúdos sobre temas semelhantes? Acesse o nosso blog, pois por lá tem muitos outros conteúdos relacionados à área médica!