Clínica sustentável: cinco ações para implantar agora

Tempo de leitura: 3 minutos

Clínica sustentável: cinco ações para implantar agora

Vivemos em uma época que a sustentabilidade ambiental nos meios de produção é uma essência para a sobrevivência humana, tanto que chegou ao setor de saúde. Incorporar a sustentabilidade nas decisões sobre o que comprar em uma clínica, pode diminuir o consumo de recursos naturais e a demanda por matéria-prima. É importante que as instituições repensem as suas prioridades para melhorar o impacto que elas podem causar no meio ambiente.

Respeitar o meio ambiente deve ser uma tarefa desenvolvida por todos, desde as pessoas, instituições e empresas. Por isso, abaixo listamos cinco ações que devem ser implantadas para que uma clínica tenha como responsabilidade a prática sustentável:

1. Promover o descarte correto dos resíduos

O descarte de resíduos sólidos de materiais utilizados nos sistema de saúde já são regulamentados pela Anvisa e por legislações federais, portanto é necessário segui-los. Entretanto, é possível pensar mais à frente. Pode-se pensar em um programa de consciência coletiva sobre a separação do lixo informando funcionários e pacientes sobre as melhores maneiras de economizar recursos.

Além disso, torneiras e vasos sanitários automáticos, sistemas de captação de água da chuva e outras atitudes que colaboram coma economia de água agregam valor a imagem da clínica. Elas podem se destacar na comunidade.

2. Fazer a economia de papel

Ao referir-se na economia de produtos, a redução do uso de papel nas rotinas hospitalares podem fazer uma grande diferença. Todos têm conhecimento que a produção massiva de papel afetam no meio ambiente pela alta retirada dos arvores. Ao adotar esse sistema, a clínica está agindo com sustentabilidade. Além disso, a sustentabilidade também pode ser financeira. Grandes empresas podem facilmente economizar muito utilizando menos papel. Hoje há os sistemas de gestão e agendamento online que podem ser extremamente úteis, inclusive mais que o papel.

3. Cuidar das condições de trabalho

Segundo especialistas em desenvolvimento sustentável, as condições de trabalho dos funcionários além de gerar desconforto e ineficiência no trabalho, podem trazer impactos ambientais. Portanto é preciso prezar por soluções visuais e olfativas dentro do consultório. A exposição de luz pode ser controlada por dispositivos que evitam ofuscamento e áreas com emissão de odores devem ser afastadas dos pontos de trabalho.

4. Cuidar dos fatores climatológicos

Para garantir a sustentabilidade é preciso garantir construções que não sejam interferidas pelo clima, a fim de economizar em ar-condicionado, ventiladores, aquecedores e demais aparelhos, afinal em uma clínica há muitos aparelhos que gastam força exponencialmente.

Projetos arquitetônicos que promovam a ventilação como o quebra-sol, projetos de incidência de luz e telhado verde são capazes de diminuir até 7º na temperatura ambiente.

5. Tirar o projeto do papel

Toda a clínica que adere as práticas ambientais estará promovendo um diferencial na sociedade. Pode ser amplamente reconhecida pelas suas estratégias de sustentabilidade. Mas para isso, é preciso que toda equipe esteja envolvida em desenvolver projetos de políticas de preservação ambiental. Nas grandes clínicas unir um pessoal que esteja a comando dessa responsabilidade social pode fazer uma grande diferença.