Como não cair em armadilhas ao se vincular a um plano de saúde

plano de saúde

É muito raro que os profissionais de saúde vivam exclusivamente de consultas particulares. A esmagadora maioria obtém seus ganhos de atendimentos realizados por meio de convênios médicos. O credenciamento junto a um plano de saúde é vantajoso na medida em que favorece a ampliação do número de pacientes dos profissionais já inseridos no mercado, sendo também uma opção para aqueles que estão em início de carreira, estabelecendo seus próprios consultórios, uma vez que facilita o contato entre profissional e paciente.

Dessa forma, o profissional em início de carreira tem a oportunidade de criar sua reputação, favorecendo o estreitamento da relação médico-paciente e, consequentemente, as indicações “boca a boca”.

No entanto, a relação entre o profissional e o plano de saúde não raro é tensa, permeada por procedimentos burocráticos desgastantes e problemas como a baixa remuneração de consultas, que afeta diretamente a qualidade do atendimento, já que o profissional se vê obrigado a atender um grande número de pacientes em um curto período, além das temidas glosas. Diante desse quadro, de que forma os profissionais podem precaver-se de armadilhas ao vincular-se a um plano de saúde?

Prevenção é a alma do negócio

Ao buscar planos de saúde para credenciar-se, fique atento para escolher operadoras que contem com boas avaliações e que estejam livres de irregularidades legais. Informe-se com colegas sobre os planos de saúde aos quais estão vinculados. Verifique se são comuns problemas com reembolsos e faturamento e se os profissionais de saúde sentem que são pressionados para reduzir o número de exames, por exemplo.

Conforme estipulado pela Lei 13.003/14, a relação do consultório com o plano de saúde deve obrigatoriamente seguir o que for determinado em um contrato formal escrito, que deve ser claro, descrevendo todos os serviços contratados minuciosamente, definindo os critérios de pagamento e reajuste e estabelecendo os direitos, obrigações e responsabilidades das duas partes, bem como a penalidade resultante do seu descumprimento. Além disso, a negociação deve ser realizada cláusula por cláusula. O credenciamento por adesão, que impunha aos médicos um contrato, não é permitido, isto é, o profissional de saúde tem o direito de negociar cada cláusula do contrato. Nele também devem constar de forma clara os valores exatos de cada procedimento e os prazos para pagamento e faturamento dos serviços prestados. Termos genéricos como “cirurgia” devem ser evitados.

Plano de saúde e As Temidas Glosas

O mecanismo para o não pagamento de determinados procedimentos (glosa) por parte das operadoras de planos de saúde deve ser acordado entre o profissional e o convênio e também deve estar descrito no contrato. Além disso, nele devem estar estabelecidos os prazos para pagamento dos serviços em caso de revogação, para resposta do plano de saúde e para contestação da glosa.

Além disso, para diminuir ao máximo o risco de glosas, recomenda-se investir em um sistema eletrônico de registro de dados integrado, programado para mapear possíveis erros e dados ausentes ou falhas.

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

Os reajustes devem ser renegociados anualmente pelas partes no aniversário do contrato, onde devem constar de modo claro e objetivo. Caso não haja acordo quanto aos reajustes, deve-se aplicar o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), definido pela ANS.

Ao estabelecer um contrato com um profissional de saúde, determinadas condutas e práticas são estritamente proibidas como, por exemplo, imposição de exigências contrárias ao Código de Ética Médica, imposição de exclusividade, imposição de regras que impeçam que o profissional conteste as glosas ou imposição de qualquer tipo de reajuste que mantenha ou reduza o valor nominal do serviço contratado.

Independente da sua decisão em se vincular ou não a um plano de saúde, é importante que o profissional da área da saúde enxergue o seu consultório como um empreendimento que precisa de atenção estratégica. É preciso investir parte do seu tempo para planejar ações para divulgação do consultório e aumento da qualidade do atendimento.

Investir em uma boa gestão pode impactar bastante nos resultados que o consultório te oferece todo mês. Por isso, é importante começar a pensar em investir em tecnologia para centralizar todos os processos do consultório – administrativo, financeiro e estratégico – em um só lugar: um software de gestão e marketing para consultórios.

No iMedicina nós oferecemos essa possibilidade! Conheça nossa proposta visitando a nossa página e entenda melhor como informatizar o seu consultório e atrair novos pacientes!

Gostou deste artigo? Acesse mais dicas e informações úteis em nosso blog.

[posts-relacionados-gerais][/posts-relacionados-gerais]

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira:

  • 1) Atração de pacientes
  • 2) Atendimento com Eficiência e Tecnologia
  • 3) Relacionamento e fidelização

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.