Cinco sinais que a sua clínica deve abandonar o livro caixa físico e partir para um software online

Para muitos profissionais da área de saúde, um dos maiores desafios para conseguir atender à demanda de tocar o próprio negócio é conseguir lidar com os desafios da administração. Um exemplo de como essa situação é complicada é o gerenciamento de um livro-caixa, que normalmente se torna um desafio um pouco maior do que o imaginado quando passamos a perceber erros, problemas de valores não lançados ou mesmo lançados a mais.

Os grandes problemas referentes à administração são normalmente porque esse tipo de informação não é adquirido em faculdades. Para um médico, o objetivo é atender, e ele não quer perder tempo tendo que se preocupar com problemas administrativos e coisas do tipo. Algumas vezes, mesmo que esse não seja o caso, um livro-caixa não é a melhor forma de gerenciar o fluxo de dinheiro de um consultório, já que ele é uma forma antiga.

Veja abaixo cinco sinais de que o livro-caixa pode não ser a melhor opção para o seu processo administrativo.

Problemas administrativos

• 01 – No final do mês, há valores incompatíveis no seu livro-caixa:
Essa é a forma mais simples de identificar que o livro-caixa já não é mais a opção certa para o seu negócio. Os valores de entrada e de saída daquilo que é movimentado durante o mês não condizem com a realidade. Dessa forma, torna-se cada vez mais comum o hábito de ter que arrumar os valores de acordo com o que sobra ou falta no final do mês.

Quando esses valores são pequenos, até parece que isso não tem grandes problemas. Porém, se pensarmos na prática, é muito errado ter valores diferentes daquilo que é utilizado no dia a dia da empresa. Para entender o motivo disso, vamos recorrer a quem mais entende de dinheiro: os bancos.

Neles, é feito um processo de fechamento de caixa todos os dias. Mas esse processo mescla a automatização com o processo manual. No total, são três conferências: dos computadores, do funcionário e do gerente. Quando os valores batem de acordo, todos assinam um documento que comprova o fechamento. Caso o valor seja acima de 0.2% do movimento do dia, é preciso fazer uma auditoria para encontrar o erro.

Através desse processo rígido, fica claro que o caixa não deve ser deixado como algo que pode ser arredondado diariamente. Isso porque o caixa deve ter um fluxo correto daquilo que é movimentado diariamente na empresa. Caso não esteja sendo assim no seu dia a dia, um sistema mais moderno precisa ser implantado.

• 02 – Gerenciar o livro-caixa é algo complicado
A regra é simples: o que é difícil não é o certo. Se o processo de administração está tomando muito do seu tempo, é porque ele não está sendo feito da forma que realmente deveria. Nesse caso, o ideal é realmente identificar os pontos complicados nesse processo para deixá-los mais simples. Para quem administra, é preciso lembrar que tempo é o bem mais precioso, logo, saber gerenciá-lo da melhor forma é o ideal para garantir um dia produtivo. Isso envolve não precisar se enrolar muito com o livro-caixa.

É claro que pode parecer que o livro-caixa é algo muito simples de se fazer e que, por isso, não há muito mistério sobre como deve ser feito o processo de lançamento de dados nele. Porém, é importante lembrar que esses não são apenas números, são informações pertinentes que servem como um registro de movimentação e sazonalidade de uma empresa, sendo o principal indicativo para as decisões administrativas no futuro.

Problemas com terceiros

• 03 – A empresa que faz a contabilidade não parece ser totalmente transparente
É claro que uma empresa responsável pela contabilidade de outra empresa sempre terá algo a oferecer para uma clínica médica, afinal, a especialidade de cada um deve ser sempre respeitada. Porém, em muitos casos, o que acontece é que as relações entre empresas, principalmente quando envolvem a administração financeira, precisam ter uma grande confiança.

Dessa forma, torna-se claro que, caso um administrador tenha a impressão de que a empresa responsável por administrar a saúde financeira de sua empresa não está agindo de forma totalmente correta, o ideal é encontrar outras alternativas.

A primeira alternativa é, obviamente, contratar uma pessoa para realizar esse serviço. Porém, os custos tendem a ser mais altos. Como opção, continuar mantendo a relação com a empresa, mas ter um registro paralelo e pessoal de como os valores são geridos dentro da empresa acaba sendo a melhor opção para deixar de lado esse tipo de preocupação, que muitas vezes pode ser infundada, mas que precisa de alguma forma ser eliminada.

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

Em tempo: empresas de contabilidade não administram o livro-caixa da empresa, mas elas são as responsáveis pelos principais movimentos que acontecem mensalmente nele. Uma relação complicada com a contabilidade pode trazer muitos problemas.

• 04 – É complicado declarar o Imposto de Renda com base nas informações do livro-caixa
O Imposto de Renda é o principal responsável por mostrar quais são os pontos em que a administração de recursos não está sendo feita de forma correta. Um bom contador consegue lidar habilmente com esse tipo de situação e sempre conseguirá fazer a declaração correta, porém, se, na hora de reunir os documentos e dados necessários, você está se perdendo no livro-caixa, isso é um mau sinal.

Ao fazer a declaração do Imposto de Renda, o que entra e o que sai deve ter um lançamento comprovado. Dessa forma, aqueles valores pequenos arredondados aos poucos não poderão ter o mesmo efeito aqui. Logo, essa é, de certa forma, a prova real de que o lançamento de informações no livro-caixa está sob controle ou não.

Anualmente, essa é a melhor forma de identificar se o fluxo do livro caixa está correto e, caso as dificuldades se repitam ano após ano, o ideal é encontrar métodos mais eficientes de controlar esse fluxo.

Problemas para crescer

• 05 – Parece impossível fazer um planejamento financeiro
Todo planejamento começa pensando naquilo que você tem e naquilo que você pretende ter. A partir disso, se um dos lados dessa ponte está quebrado, como será possível pavimentá-la de forma correta? O livro-caixa é a ferramenta que trará as informações sobre como está a empresa e os lucros, os lançamentos, a média de despesas, a administração e assim por diante.

Para empresas de todos os tamanhos, um planejamento financeiro é indispensável para ter metas e alcançar um crescimento sustentável a longo prazo. Com isso, administradores buscam todo ano diferentes métodos para definir seus objetivos do ano e, se não conseguem comprovar esses objetivos, é porque não têm segurança em seu ponto de partida ou porque colocam um objetivo muito fora da realidade.

Trabalhando apenas com a primeira hipótese, a de que o ponto de partida da empresa está dando problemas, é o livro-caixa e o seu gerenciamento correto que conseguem propor ou não que a saúde da clínica médica esteja ou não de acordo com as expectativas e a realidade esperada. Portanto, cada vez que há uma dificuldade nesse planejamento financeiro, provavelmente é devido a um livro-caixa mal feito.

Por que um software online pode ajudar?

A partir do momento em que se implanta um software online, o lançamento do livro-caixa se tornará automatizado, trazendo uma análise real e instantânea de tudo que entra e tudo que sai de uma empresa. Com isso, a cada dia, é possível avaliar se ele foi produtivo ou não, mas também dá para ir além, planejando, especulando e até simulando diferentes situações para a empresa.

Com o uso de um software online, é possível criar estimativas para um planejamento financeiro a longo prazo e acompanhar a produtividade dos funcionários, avaliando se é ou não necessário contratar ou dispensar pessoas, e, em último caso, é até possível analisar a sazonalidade, identificando se será ou não necessário se preparar para um período de queda no movimento.

Automatizar os processos da empresa é a forma mais eficaz de eliminar os erros humanos e, dependendo do tipo de gerenciador, ele até mesmo poderá indicar possíveis erros no livro caixa no momento em que é lançado, podendo ser corrigido na hora. Com isso, ganha-se tempo, planejamento e, em última instância, dinheiro para melhorar seus processos e torná-los cada vez mais produtivos.

Mas também é preciso escolher bem o melhor software de gerenciamento de fluxo de caixa para clínicas médicas. No geral, muitas empresas oferecem serviços semelhantes, mas eles podem não ser exatamente o que a sua empresa busca para melhorar os processos.. Por isso, realizar testes e avaliar o que é o mais necessário em cada caso será indispensável para encontrar a ferramenta correta, para agregar funcionalidades. Afinal, um software tem que vir para ajudar e, caso ele seja complicado de lançar dados e motive perder tempo, não está cumprindo seu papel.

E você, já tem experiência com algum gerenciador financeiro para empresas? Então deixe seu comentário. Se quiser, navegue em nossas outras matérias. Temos dicas e outras informações importantes para ajudar na administração financeira de sua clínica médica.

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira:

  • 1) Atração de pacientes
  • 2) Atendimento com Eficiência e Tecnologia
  • 3) Relacionamento e fidelização

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.