Site médico: a estrutura que dá resultados!

client-5

Quando vamos fazer uma ação de marketing do consultório, muitas vezes, gastamos tempo e energia para planejar como deve ser o folheto com o descritivo dos serviços ou então o anúncio que será veiculado na revista que você reservou espaço.

Mas nem sempre a mesma disposição é empenhada na hora de fazer o site médico. Na maioria da vezes, sempre que alguma clínica vai desenvolver ou mesmo repaginar seu endereço eletrônico na internet, sobram opiniões pessoais sobre gostos e preferências, e falta olhar para a necessidade de quem realmente importa: o paciente.

Invertendo essa prioridade, o resultado não poderia ser outro. Com base em nossa cartilha de clientes, percebemos sempre os mesmos erros e os mesmos resultados ruins. Em geral, são páginas que têm muitas informações desnecessárias ou lentas demais para carregar. 

Práticas como essa são condenáveis no marketing digital. E não é apenas eu ou especialistas que dizem isso. O próprio internauta dá esse “feedback” a partir dos dados de navegação, com taxas bem abaixo do mercado. Olha só do que estou falando:

  • Cerca de 80% dos visitantes saem da página sem se interessar pelo conteúdo
  • A maior parte dos internautas que navegam pelo site (72%) clica apenas em um dos itens do menu
  • Menos de 1% de quem entra no site navega por todas as páginas

O que isso significa? Que na maioria das vezes, os dados que são relevantes para o paciente não estão claramente disponíveis na página. Em muitos casos, eles estão escondidos em páginas acessórias, fazendo o internauta desistir antes de chegar às informações.

O mesmo ocorre com a gente, não é mesmo? Pare por um instante e reflita quantos sites já o fizeram desistir de chegar à informação que você procura, por ter um layout super complicado ou não estar adaptável ao acesso mobile (por smartphones e tablets).

Quando o profissional de saúde toma conhecimento disso, o desespero é geral! Mas, calma, você bem sabe que todo diagnóstico (por mais duro que pareça) tem seu tratamento, não é mesmo?

Para mudar dados como é esse não é diferente. Há muitas maneiras de reverter isso sem que sejam necessários grandes esforços ou, ainda, investimentos que não caibam no orçamento. Uma pitada de conhecimento, ferramentas certas e uma boa dose de persistência o farão colher dados mais promissores.

 

Site médico: o que você deve saber antes de iniciar um projeto

É importante alinhar o propósito para o qual o site foi criado. Antes de desenvolver a página, é preciso que você tenha em mente um ponto muito claro: “Estou fazendo essa página para quê?”.

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

Para ajudá-lo a achar esse caminho: em alguns casos, pode ser para captar clientes. Em outros, para se tornar uma autoridade no meio, e por aí vai.

A partir disso, tenha em mente o que representa o site (e as possibilidades que ele reserva). O site é o espaço da sua clínica, que pode ser acessado a partir de links (divulgados em redes sociais e encaminhados por e-mail), em questão de segundos, de qualquer parte do planeta.

Pela facilidade que há em criar uma página, existem atualmente trilhões delas no mundo todo. Ou seja: muita informação, que faz com que precisemos atuar para simplificar o modo de visualização delas.

É nesse contexto que surge o termo “one-page design”. Para entender melhor: significam espaços que reúnem as informações necessárias do seu site em uma única página. O que quer dizer menos informação sobrando, para que o internauta veja o que ele realmente interessa.

“Ah, mas não gosto dessa ideia de meu site ser uma página simples, sem graça…”.

Mas, nesse caso, não é nem tanto uma questão de gosto e, sim, de eficiência, daquilo que dá mais resultado dentro daquilo que você deseja com o site. Nessa caminhada de consultoria para criar o site médico ideal, constatamos que conteúdo estando disponível em uma só página tende a ter resultado melhor do que aquele que reúne várias abas.

Site médico: o que preciso olhar com atenção

Tendo muito claro o propósito e as informações de que falamos acima, você precisa levar em conta outros fatores relevantes. Veja três pontos essenciais que precisa levar em consideração:

  • Sites no estilo one-page design são mais efetivos para converter internautas em pacientes
  • O nível de eficiência de uma página nesse formato chega a ser 3 vezes maior do que uma página convencional
  • Além disso, sites com esse formato que possuem um link para blog são uma ótima ideia. Um blog onde você possa compartilhar informações de relevância pode te tornar uma autoridade no assunto.

Leve esses três pontos como um mantra e você terá um site médico muito mais eficiente do que possa imaginar. Antes de sair criando página por aí, pesquise muito bem aquilo que você deseja alcançar (e persista nesse objetivo).

Considere ainda não fazer isso tudo sozinho: lembre-se que há ferramentas no mercado com condições de ajudá-lo, sem muito esforço e com um custo que cabe no seu orçamento.

 

Nesse caso, estamos falando de softwares médicos que podem ser seu braço direito na hora de formatar um site, sem exigir um conhecimento apurado de sua parte no tema. Ao procurar por esses sistemas, tenha preferência por aqueles que o ajudem a tornar o marketing do seu consultório muito mais efetivo!

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira: