Mitos do marketing médico digital

marketing médico digital

Antes da chegada da internet era comum buscar um médico por indicação, catálogo dos convênios médicos, listas amarelas e pelos meios de comunicação tradicionais: rádio, TV e jornais. Agora, a internet transformou a forma como as pessoas buscam serviços de saúde. A solução para se destacar da concorrência é o marketing médico digital.

O marketing médico tem como objetivo promover e divulgar o trabalho do profissional e, principalmente, comunicar e levar informação ao paciente. Mas, por mais que esse novo formato de marketing venha sendo utilizado há alguns anos, ainda existem mitos em relação ao marketing médico digital.

E muitos desses mitos acabam por confundir os profissionais, que por não conhecer melhor a área, acabam ficando pra trás na corrida por mais pacientes particulares. Veja a seguir os principais mitos e verdades sobre o assunto!

Conheça os principais mitos do marketing médico digital

1 – O marketing médico digital fere o Código de Ética do CFM.

O Conselho Federal de Medicina possui algumas regras e limitações quanto à publicidade e divulgação do trabalho médico. Porém, isso não quer dizer que a prática do marketing médico seja antiética.

A Resolução nº1974/2011 estabelece o Manual de Publicidade Médica, um guia para os profissionais da medicina, com as normas e proibições quanto à divulgação e promoção dos serviços médicos.

A normatiza proíbe, por exemplo, a participação de médicos em ações publicitárias para promover empresas ou produtos ligados à Medicina; veta ainda o uso dos canais de comunicação para compartilhar notícias sensacionalistas que alarmam à sociedade; proíbe a utilização de fotos de pacientes; entre outros.

Em síntese, as ações de promoção e divulgação devem ter caráter educativo e informativo, sem utilização de sensacionalismo ou conteúdo que não sejam comprovados cientificamente.

Se feito com responsabilidade, o marketing médico digital traz diversas vantagens para o consultório, basta seguir as normas.

2 – Anúncios no Google e mídias sociais são antiéticos.

Como explicamos no item anterior, o CFM não proíbe a publicidade e marketing médico. Ele deve ser feito de maneira consciente.

Nesse cenário, o tráfego pago, que são os anúncios feitos pelo Google Ads, acelera as estratégias de posicionamento da marca e desenvolvimento da autoridade médica.

Dados do Google mostram que 90% dos usuários acessam os cinco primeiros links exibidos nos resultados de busca. Dessa forma, se possível, invista em marketing médico digital orgânico e pago, potencializando a possibilidade do paciente encontrar a clínica ou consultório no ambiente digital.

3 – É impossível fazer marketing médico sem vender o médico ou procedimento.

A base do marketing médico digital inteligente é o marketing de conteúdo, ou seja, um conjunto de técnicas que envolve a criação e o compartilhamento de conteúdo para um determinado público, que será impactado de acordo com o que busca na Internet. 

No cenário médico, ele também tem como objetivo ajudar os pacientes a se manterem informados, promover a sua saúde e criar um relacionamento com o paciente.

Para isso não é preciso falar somente do profissional ou procedimento. O conteúdo pode abordar dicas de saúde, novidades na área e cuidados.

4 – Marketing médico garante uma agenda cheia.

Somente a utilização de técnicas de marketing médico digital não garante que seu consultório tenha sempre uma agenda cheia.

As técnicas de marketing de conteúdo devem ser aliadas a outras ações de fidelização do cliente. Não basta atrair o paciente ao consultório, é preciso fidelizar e satisfazer o paciente, gerando uma boa experiência emocional e técnica.

Prontuário Eletrônico Gratuito

5 –  Estar presente nas redes sociais basta.

A presença nas redes sociais – Facebook, Instagram, Linkedin etc., é uma parte importante das atividades do marketing médico, mas deve ser pensada como um suporte.

Um bom marketing médico digital envolve uma metodologia e a utilização de diversas ferramentas trabalhando em conjunto, como por exemplo uma webpage com todas as informações do consultório.

Também é importante pensar em um blog com conteúdo relevante para o público.

Além disso, utilizar plataformas médicas que otimizam a comunicação com o paciente e disponibilizar diferenciais para o agendo de consulta são essenciais para a estratégia funcionar.

6 – Marketing médico é caro

A estratégia de marketing pode e deve ser pensada de acordo com orçamento da clínica ou consultório.

Com a chegada dos softwares médicos é possível pensar em estratégias para todo tamanho de consultórios e clínicas, com orçamentos mais flexíveis e econômicos.

Com um software médico seguro é possível interligar marketing de conteúdo, redes sociais, e-mail marketing. Além de atrelar a presença digital com ferramentas de gestão e atendimento.

Importância do investimento nessa estratégia

O investimento em marketing médico digital vai além de apenas marcar presença no meio digital. É a possibilidade de atrair potenciais pacientes, educar a população e fidelizar o público que já é acompanhado pela clínica ou consultório.

Outra vantagem do investimento é a possibilidade de mensurar os retornos e criar ações segmentadas de acordo com o perfil do paciente, fazendo com que sejam mais assertivas. Além disso, todas as ações podem ser medidas e avaliadas por período.

Como fazer o marketing médico digital?

Antes de iniciar o investimento em marketing médico é preciso conhecer a sua concorrência e o seu público-alvo. 

Para conseguir se diferenciar da concorrência, é preciso saber o que eles estão fazendo. E, somente conhecendo o seu público-alvo é possível desenvolver estratégias que os impactam.

Definido o público e concorrência, é preciso definir o objetivo de cada estratégia. Entre os objetivos mais comuns estão a promoção da saúde da população, com conteúdo educativo; se posicionar como autoridade na área de atuação ou fidelizar/conquistar mais pacientes.

Por fim, defina suas estratégias e aposte nas técnicas mais utilizadas pelos profissionais da medicina: e-mail marketing, produção de conteúdo, redes sociais, marketing de busca e presença digital.

É importante lembrar que você não precisa investir em todas as estratégias de marketing médico digital de uma vez. É preciso, junto com uma equipe especializada, pensar nas melhores ferramentas para o momento atual do seu consultório e qual terá um retorno mais efetivo.

Enfim, deixe de lado os mitos que envolvem o marketing de conteúdo e pense nos bons resultados que a divulgação da sua clínica ou serviços podem trazer. Basta seguir as regras do CFM para fazer todas as ações dentro dos princípios éticos da profissão, produzir um bom planejamento e investir em uma equipe que podem ajudar na aplicação das estratégias.

Quer saber mais sobre o assunto? Conheça o Guia Definitivo do Marketing Médico e leve seu consultório para outro nível!

metodologia imedicina

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira: