Os maiores desafios para o médico brasileiro e como superá-los

Tempo de leitura: 5 minutos

Toda profissão gratificante e recompensadora tem seus próprios desafios, e com o médico não poderia ser diferente. Quem decide seguir a carreira médica sabe que terá que enfrentar desafios pela frente e não pode se deixar vencer pelos problemas e pelas adversidades. Aqui ressaltaremos algumas dessas problemáticas e auxiliaremos nas suas superações.

Grande carga horária e pressão constante

Um dos desafios enfrentados pelo médico é encarar a grande carga de trabalho comum a todos os profissionais da área de saúde. O médico em geral precisa investir mais tempo em estudos do que a maioria das outras profissões, adquirir preparo e conhecimento que demandam tempo e esforço e, muitas vezes, trabalhar até altas horas em plantões. Ainda que a profissão seja recompensadora e gratificante, alguns não suportam essa carga e sentem um desgaste acima da média, com pouco tempo para a família e o lazer.

Ser médico também implica em conseguir viver sob pressão. Os médicos são os profissionais que mais estão em constante pressão da sociedade, tendo que chegar sempre pontualmente, mostrar cordialidade, classe e transparecer integridade, além de possuir um bom e refinado vocabulário, visto que o médico gera uma expectativa em relação às pessoas em geral acima da média das outras profissões. Ou seja, de um médico espera-se sempre mais do que de um outro profissional.

Se, por um lado, isso pode ser encarado positivamente (uma vez que só se gera expectativa em relação a quem é bem-visto e reputado pela sociedade), por outro lado, envolve uma cobrança e um rigor acima do normal. É preciso estar preparado para viver sob pressão se quiser cumprir com aptidão e bem-estar a função de médico.

Responsabilidade e concorrência

O médico também tem responsabilidades acima do comum, visto que qualquer erro, por menor que seja, pode comprometer a vida de um paciente ou a sua total integridade. Um único erro que seja fruto de distração ou desatenção pode ser o suficiente para colocar a perder toda uma carreira promissora de um médico talentoso. Na maior parte das vezes, o médico não tem uma segunda chance de reverter os erros quando o descuido é muito grande.

Tal como um piloto de avião não pode se distrair no volante, senão a vida de todos os passageiros estará em risco, o médico tem a obrigação de estar sempre totalmente atento e aplicado naquilo que está executando. Por erros médicos, doutores já tiveram que pagar indenizações milionárias, e, em casos mais extremos, foram presos. Por conta disso, a responsabilidade nos ombros dos profissionais da área de saúde é enorme.

Se, por um lado, o desejo de ajudar as pessoas e o bom retorno financeiro que a profissão geralmente oferece motivam muitos a estudarem medicina sonhando alto, por outro lado, isso gera uma das maiores concorrências existentes no mercado de trabalho.

O curso de medicina é tradicionalmente o mais concorrido em todos os vestibulares, deixando de fora a grande maioria dos que disputam uma vaga, o que inclui muitos que estudavam horas por dia. Depois, é também um dos cursos mais longos que existem, com duração mínima de seis anos, podendo chegar a oito anos ou mais. Quando finalmente se consegue o diploma, começa uma nova etapa: a concorrência com aqueles que já estão no mercado. Por isso, para ter sucesso como médico é preciso mais do que tudo ser aplicado, perseverante, paciente e esforçado.

Conhecimento e atualização

O médico não apenas precisa ser bem informado, gostar de ler bons livros e adquirir um conhecimento substancial na sua área, mas também precisa estar sempre se reciclando, se atualizando, se renovando e se modernizando. Ele tem que estar por dentro das inovações do mundo moderno, porque, se tratando de saúde, há novas descobertas constantes que mudam conceitos e exigem que o médico esteja sempre bem informado do que há de mais novo na área.

A ciência é um campo que nunca para, ela está sempre progredindo e se desenvolvendo, e tal evolução só se faz presente se os médicos a acompanharem. Por isso, é inevitável que o médico não apenas se ocupe em seu consultório com suas atividades de rotina, mas também leia livros, artigos e periódicos atuais, além de participar de cursos e congressos, a fim de nunca estar defasado em relação aos demais.

Mas os desafios na área médica não devem servir a amedrontar alguém que deseja seguir a carreira. Ao contrário, devem servir para que o indivíduo, consciente de seus desafios e responsabilidades, busque a superação e triunfe sobre as problemáticas da vida. Os problemas e adversidades devem ser encarados como um trampolim para a maturidade e o desenvolvimento psíquico e social do médico, que consegue extrair desses desafios uma eterna fonte de superação e crescimento. É preciso saber que não há desafio nenhum que não possa ser superado com esforço, dedicação, empenho e perseverança. Acima de tudo: não desistir nunca.

Os médicos têm ainda uma motivação especial para extrair forças nas dificuldades: o sorriso no rosto com um “muito obrigado” de quem estava sofrendo com alguma enfermidade, uma vida salva que lhe será eternamente grata, o prazer de poder aliviar a dor e tratar uma doença – recompensas que não tem preço.

Gostou desse artigo? Confira outros textos em nosso blog!