Nutricionistas: impacto na profissão por não poder receitar medicamentos

nutrição

Há males que vem para o bem. Um ditado tão antigo pode esconder uma realidade para o mercado de nutrição. Mas é claro que esse não é um texto filosófico, a ideia é ser algo prático. E para falar sobre prática e nutrição, é impossível separar a atividade do seu objeto de estudo: a alimentação e seus efeitos nas pessoas.

Dentro dos consultórios, milhares de nutricionistas são colocados diariamente frente a questionamentos sobre quais os melhores remédios para emagrecer, para ganhar massa muscular, para hipertrofia e assim por diante. O que acontece é que o principal trabalho dos profissionais da área de nutrição não é exatamente encontrar atalhos para seus pacientes, mas sim buscar a forma mais consciente de eles conseguirem alcançar seus objetivos da melhor forma possível.

 Afinal, qual a base da nutrição?

Para muitos profissionais de nutrição, não poder recomendar medicamentos nem é exatamente um problema. Isso porque a base de atuação de nutricionistas é a alimentação, e todos os alimentos podem ser indicados sem a necessidade de uma receita. É assim que a legislação brasileira entende o papel do nutricionista, e por isso, limita a atuação desses profissionais aos alimentos e no máximo à suplementação.

E por falar em suplementação, é importante lembrar que os profissionais de nutrição são os únicos que realmente podem indicar ou não a necessidade de a pessoa suplementar sua alimentação. O mesmo funciona com multivitamínicos e assim por diante, já que abrem várias possibilidades desenvolvidas anualmente pela indústria farmacêutica.

Ainda assim, o papel do nutricionista é entender a rotina de uma pessoa, seus gastos calóricos e seus objetivos para assim criar uma ponte entre objetivos e resultados. A grande questão é o tempo que um lado se conectará ao outro, pois o fator tempo é que indica a necessidade ou não de algum suplemento ou medicamento extra.

 E quando o medicamento é indispensável?

Mas é claro que nem tudo são flores, e em alguns casos, é indispensável o uso de medicamentos para que os pacientes cheguem a seus objetivos. Esses são os casos em que a reposição de nutrientes não é possível devido a doenças congênitas, por exemplo. Nesses casos, a tendência é que torne-se indispensável o uso de receitas, o que pode exigir que o profissional de nutrição trabalhe em conjunto com profissionais de outras áreas.

Quando o atendimento envolve esse tipo de situação, milhares de profissionais diferentes podem se tornar parceiros dos nutricionistas: endócrinos e otorrinos são apenas dois exemplo, mas ainda podem ser citados muitos outros. Nesses casos, é importante que o trabalho seja em conjunto, com o nutricionista deixando claro qual o deficit alimentar em questão e como ele pode ser trabalhado.

Porém, ainda é importante manter o processo de trabalho dos profissionais da nutrição, que envolve um bom cardápio, e como ele atende as necessidades dos pacientes. Dessa forma, embora muitas vezes suplementos e medicamentos sejam necessários, não deve ser o objetivo. Afinal, os alimentos não precisam de receita médica.

De qualquer forma, não poder receitar medicamentos não representa um grande impacto para o profissional de nutrição. O maior desafio para o nutricionista, no entanto, é saber se posicionar no mercado e conseguir fazer com que o seu consultório alcance a visibilidade almejada para obter o maior número de pacientes possível e a receita mais estável.

Para que isso aconteça, é importante que o profissional da área de nutrição enxergue o seu consultório como um empreendimento que precisa de atenção estratégica. É preciso investir parte do seu tempo para planejar ações para divulgação do consultório e aumento da qualidade do atendimento.

Investir em uma boa gestão pode impactar bastante nos resultados que o consultório te oferece todo mês. Por isso, é importante começar a pensar em investir em tecnologia para centralizar todos os processos do consultório – administrativo, financeiro e estratégico – em um só lugar: um software de gestão e marketing para consultórios.

Você sabia que existem softwares médicos extremamente eficazes que auxiliam na gestão do consultório de nutrição e dos pacientes? E que, inclusive, podem ajudá-lo na parte estratégica e no marketing do consultório? Já pensou se, no seu software médico, além de gerenciar seus pacientes, você pudesse também criar e conduzir o seu próprio site e blog?

No iMedicina nós oferecemos essa possibilidade! Conheça nossa proposta visitando a nossa página e entenda melhor como informatizar o seu consultório de nutrição e atrair novos pacientes!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e veja nossos outros textos.

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados

O que achou? Deixe seu comentário!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.