Quanto tempo deve durar a minha consulta médica?

De um lado do ringue estão os pacientes, constantemente reclamando que o tempo de duração da consulta foi curto demais. Do outro, os médicos, que comumente se desdobram entre clínicas e hospitais e, por isso, precisam otimizar o tempo de atendimento. E independente de ambos os lados terem bons argumentos para criticar ou justificar consultas que duram poucos minutos, o fato é que não há no Brasil uma regulamentação quanto ao tempo mínimo ou ideal de uma consulta médica – e esse problema também faz com que muitas pessoas que estão doentes não agendem sua consulta julgando ser uma perda de tempo, o que aumenta os casos de automedicação.

Apesar da maior parte das queixas estarem direcionadas aos atendimentos realizados no sistema público de saúde, essa realidade também atinge muitos médicos particulares – especialmente aqueles que atendem um grande número de pacientes, que agendam sua consulta por meio dos convênios médicos. Com tanta demanda, o atendimento acaba sendo feito mais rapidamente, dando margem para erros de julgamento na hora de prescrever o tratamento, já que nessa pressa todo o paciente pode acabar não informando todos os sintomas que está sentindo.

Bom senso é indispensável

Já que os médicos não precisam fazer a consulta durar por um tempo mínimo exigido por alguma norma oficial, a solução para um bom atendimento, mesmo que curto, é o bom senso. É preciso considerar que o paciente provavelmente esperou por uma data livre na agenda por dias (às vezes, por semanas ou até meses), e que também já gastou um tempo na sala de espera aguardando o atendimento. Tanta espera gera expectativas e, sendo assim, o paciente espera que o médico preste atenção a todos os sintomas relatados, faça perguntas e investigue o que, de fato, está acontecendo – e não somente ouça seu relato e já prescreva medicamentos em menos de cinco minutos de conversa.

De acordo com o Manual de Auditoria de Atenção Básica do Ministério da Saúde, um tempo médio de quinze minutos é usado como referência de produtividade médica na rede pública, por onde passa um número muito grande de pacientes todos os dias. Já para a rede particular de atendimento, muitos profissionais estabelecem a marca dos 25 minutos como sendo uma duração ideal para uma consulta bem feita, reduzindo os riscos de cometer o temível erro médico na hora de tratar o paciente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 50% dos medicamentos consumidos no Brasil são prescritos ou usados de maneira incorreta, e um curto tempo de consulta pode ser o grande responsável por erros de julgamento. Além disso, deixar o paciente sair da clínica com dúvidas quanto ao tratamento dá espaço para que ele busque a internet para sanar essas questões, consequentemente substituindo medicamentos por conta própria, ou mudando a forma e duração do tratamento sem o aval do médico. Afinal, não basta apenas que o paciente agende sua consulta, mas que também seja bem atendido e siga as orientações de maneira correta.

A secretária pode ajudar (e muito!)

Qualquer clínica conta com uma secretária para que o paciente agende sua consulta e tire dúvidas relacionadas ao agendamento. No entanto, a função dessa profissional pode ir muito além de simplesmente administrar a agenda do consultório e recepcionar os clientes.

Já que somente o médico é capaz de julgar exatamente quanto tempo ele precisará para bater o martelo quanto às condições do paciente em cada consulta, a secretária pode ser seu braço direito para instruir os pacientes a anotar todos os seus sintomas, bem como remédios que já esteja tomando e exames realizados, por exemplo. Também pode ficar nas mãos da secretária a função de separar o histórico daquele paciente para que o médico analise previamente, bem como organizar os horários de chegada de cada paciente para minimizar as filas de espera.

E o paciente, ao agendar sua consulta, também pode contribuir para com a eficiência do atendimento médico. Além de se comprometer a chegar à clínica com alguma antecedência e levar todas as informações necessárias para que o médico avalie bem o seu caso, o paciente também pode anotar previamente todas as suas dúvidas, além de anotar também as respostas dadas pelo médico para não esquecer depois.

Leia mais sobre consultas médicas em nosso blog!

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados

O que achou? Deixe seu comentário!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.