O CNES é obrigatório? Saiba por quê

cnes

Muitos profissionais recém-formados ou que acabaram de abrir seus consultórios e clínicas de saúde ficam com dúvidas com relação a documentação necessária para regularização de novas clínicas, consultórios e estabelecimentos junto aos órgãos responsáveis e ao Ministério da Saúde. Afinal, são tantas informações, documentos e dados que precisam ser preparados antes da abertura que fica difícil conhecer a fundo as características de todos eles.

Se é esse o seu caso, além de conhecer melhor o CNES, recomendamos fortemente que baixe esses e-books gratuitos aqui, que vão te dar um norte sobre tudo o que você precisa antes de começar a operar o seu consultório.

TODOS esses materiais são gratuitos.

Por isso, preparamos um material completo a respeito da CNES – Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde. Veja a seguir e aprenda tudo a respeito do assunto.

O que é o CNES? É obrigatório fazer?

A CNES é, na verdade, um conjunto de informações que todos os estabelecimentos voltados à saúde no Brasil precisam informar para o Ministério da Saúde. Ele é obrigatório. Ou seja, qualquer clínica ou profissional de saúde que preste atendimentos sem a CNES atuará de forma ilegal e poderá sofrer sanções. Preencher o CNES nem sempre foi obrigatório. Somente a partir do ano 2000 é que o Ministério da Saúde passou a exigir de todos os locais.

A partir destas datas, diversas alterações foram realizadas no formulário, a fim de deixá-lo cada vez mais completo e mais próximo à realidade. Portanto, é sempre bom ficar atento para verificar se houve alguma novidade incluída.

O Ministério da Saúde obriga que todo estabelecimento independentemente do seu tamanho, estrutura ou nível de complexidade deve efetuar o cadastro. Até ambulatórios que funcionam dentro de empresas, clubes ou escolas precisam preencher o CNES corretamente.

Nele, são informados todos os dados a respeito dos profissionais que atuam, quais os serviços oferecidos, o porte, características físicas e todos os detalhes possíveis. É preciso informar ainda dados específicos para cada profissional da saúde que atue no local, independentemente de sua área de formação, inclusive dentistas, psiquiatras, fisioterapeutas e fonoaudiólogos.

Profissionais que atuam como pessoa física em clínicas, hospitais e quaisquer outros estabelecimentos também devem preencher as fichas referentes aos seus dados.

Os formulários do CNES estão disponíveis nos sites das secretarias de saúde de cada estado e na webpage da própria ANS. Os sindicatos médicos e associações de classe também costumam oferecer os documentos e ajudar em seu preenchimento.

Por que é importante preencher o CNES corretamente?

A CNES é mais do que uma simples burocracia exigida pelo Ministério da Saúde. Ela garante o bom funcionamento dos estabelecimentos de saúde e traz mais segurança tanto para os profissionais que nelas atuam, quanto para os pacientes em geral.

Após o preenchimento, o estabelecimento receberá um código numérico exclusivo, que o identifica em todo o território nacional. Este código é o que atesta a regularização do local e ainda deverá ser utilizado para a confecção de contratos aditivos, entre prestadores de serviço, profissionais, sócios e até operadoras de planos de saúde.

Aliás, desde 2007, nenhuma operadora de plano de saúde pode fechar contratos com estabelecimentos de saúde que não possuam a CNES devidamente regularizada.

Ou seja, além de ser uma forma de identificação clara, a CNES acaba facilitando os processos que envolvem negociações e parcerias dentro da área da saúde.

Apesar de a preocupação com o CNES ser extremamente relevante e necessária, gerir um consultório vai muito além de documentações, números e burocracias: estar a frente de um empreendimento deste porte envolve muitas outras questões que não podem ser negligenciadas, como a gestão administrativa, estratégica e financeira do consultório.

Você precisa entender que está gerenciando um empreendimento que precisa de atenção estratégica e, portanto, o marketing deve fazer parte da sua visão de negócio. Além disso, o controle financeiro do consultório deve ser apurado para que você entenda claramente o retorno que está tendo sobre os investimentos que tem feito.

Lidar com tudo isso sozinho não é tarefa fácil, afinal, você ainda tem dezenas de atendimento por dia para realizar. É aí que entra a tecnologia: você pode usá-la para automatizar a maior parte das ações necessárias para uma boa gestão do consultório, controle financeiro,  marketing digital e relacionamento com o paciente.

Você sabia que existem softwares médicos extremamente eficazes que auxiliam na gestão do consultório e no relacionamento com os pacientes? E que, inclusive, podem ajudá-lo na parte estratégica e no marketing do consultório? Já pensou se, no seu software médico, além de gerenciar seus pacientes, você pudesse também criar e conduzir o seu próprio site e blog?

No iMedicina nós oferecemos essa possibilidade! Conheça nossa proposta visitando a nossa página e entenda melhor como informatizar o seu consultório e atrair novos pacientes!

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Compartilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos relacionados

O que achou? Deixe seu comentário!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.

Junte-se a Dezenas de Milhares de Médicos

Receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.