Como preencher corretamente o prontuário eletrônico

prontuário eletrônico

Com o desenvolvimento de novas tecnologias para a área da saúde, surgiu o prontuário eletrônico, uma ferramenta que agiliza e otimiza a gestão e o atendimento do consultório. Assim como o prontuário tradicional, a versão digital também precisa ser preenchida corretamente.

Você sabe quais são os dados obrigatórios? E os opcionais? Neste artigo, explicaremos tudo sobre a ferramenta  e o seu preenchimento.

O que é o prontuário eletrônico?

Trata-se de uma tecnologia desenvolvida para substituir o prontuário do paciente em papel, oferecendo funcionalidades que trazem inúmeros benefícios para a rotina e gestão de um consultório médico.

Ainda, o prontuário digital integra em um único lugar todos os dados e documentos necessários para o bom acompanhamento de um paciente, como, por exemplo, ficha de anamnese, solicitações, resultados e laudos de exames, prescrições de medicamentos, etc.

Além disso, a ferramenta permite uma maior organização das informações, facilitando a busca por dados dos pacientes. Outro aspecto positivo é o nível de segurança que costumam oferecer, principalmente quando todo o sistema é em nuvem. Ademais, a ela pode proporcionar as seguintes vantagens:

  • criação de relatórios sobre o perfil dos seus pacientes, permitindo conhecer a sua persona;
  • acesso e acompanhamento do controle financeiro do consultório;
  • fortalecimento do relacionamento com o paciente;
  • agendamento online de consultas;
  • facilidade  no compartilhamento de prontuários com outros profissionais;
  • acompanhamento de métricas sobre o crescimento do consultório;
  • criação de estratégias de marketing médico para atrair e fidelizar pacientes.

Os prontuários eletrônicos são regulados no Brasil pela resolução n.º 1.821/07 do Conselho Federal de Medicina (CFM) que, entre outras coisas, dá validade jurídica a ferramenta, autoriza o seu uso e o descarte dos documentos físicos que foram digitalizados.

Outrossim, essa ferramenta oferece funcionalidades que podem transformar a realidade do seu consultório, tais como, relatórios automatizados totalmente personalizados, prescrição digital de medicamentos, acesso ao bulário eletrônico, plataforma de telemedicina, envio de mensagens para confirmação e lembretes de consultas.

Agora que você já conhece os recursos oferecidos por um software de prontuário, precisamos falar sobre o seu preenchimento. Você sabe como fazê-lo? Então, continue a leitura.

Como é o preenchimento do prontuário eletrônico?

O preenchimentos do prontuário eletrônico deve respeitar as mesmas normas orientadas para o prontuário tradicional. Assim, a resolução CFM n.º 2.056/2013, em seu capítulo X, dispõe sobre a organização dos prontuários dos pacientes, que tem por objetivo:

  1. permitir a fácil leitura e interpretação por médicos e outros profissionais que o manuseiem;
  2. possibilitar o fácil manuseio e interpretação por auditores e autoridades relacionadas ao controle da medicina.

Ainda, segundo a norma, os prontuários devem ser ordenados da seguinte forma: anamnese, folhas de prescrição e de evolução exclusiva para médicos e enfermeiros, folhas de assentamento evolutivo comum para os demais profissionais que intervenham na assistência.

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

Ademais, todos os tratamentos recebidos pelos pacientes devem ser justificados pela observação clínica e devidamente registrados no prontuário. O objetivo dessa exigência é dar segurança tanto para o médico quanto para o paciente e servir como prova documental em possíveis ações judiciais.

Além disso, segundo a resolução CFM n.º 1.638/02, a responsabilidade pelo devido preenchimento do prontuário do paciente é, principalmente, do médico assistente e dos demais profissionais que atuam no mesmo atendimento.

Por isso, é de extrema importância preencher adequadamente esse documento, inserindo todos os dados obrigatórios e, em alguns casos, as informações opcionais. 

Dados de preenchimento obrigatório no prontuário do paciente

A mesma resolução n.º 1.638/02, em seu artigo 5º estabelece os dados que devem ser obrigatoriamente preenchidos no prontuário, seja ele eletrônico ou de papel. São eles:

  • identificação do paciente: nome completo, data de nascimento (dia, mês e ano com quatro dígitos), gênero, naturalidade, endereço completo (nome da via pública, número, complemento, bairro/distrito/município, estado e CEP) e nome da mãe. Esses dados permitem o contato com o paciente ou com seus familiares;
  • histórico de saúde: anamnese, exame físico e complementares que sejam solicitados, com seus respectivos resultados, hipóteses diagnósticas, diagnóstico definitivo e tratamento realizado;
  • registro do acompanhamento do paciente: evolução diária, com data e hora, discriminação dos procedimentos aos quais foi submetido e identificação dos profissionais que os realizaram. Esse documento precisa ser assinado eletronicamente por esses profissionais;
  • emergências: quando não for possível a coleta da história clínica do paciente, deve constar no prontuário todos os procedimentos realizados e que tenham possibilitado o diagnóstico e/ou a remoção para outra unidade.

Ainda, a resolução também ressalta que a responsabilidade pela inserção dessas informações é do médico assistente, da chefia da equipe, da chefia da clínica e da Direção Técnica da unidade.

Sobre a anamnese

Na resolução n.º 2.056/2013, há um capítulo dedicado a anamnese e, dentre outras coisas, determina que, para atender ao disposto no artigo 87 do Código de Ética Médica, esse registro deve conter os seguintes dados:

  • todos os dados cadastrais do paciente, tais como, nome, idade, data de nascimento, filiação, estado civil, raça, sexo, religião, profissão, naturalidade, procedência, endereço e telefone;
  • descrição sucinta da queixa principal;
  • relato completo sobre o histórico da doença a ser tratada, mencionando sintomas, evolução, tratamentos já realizados, etc.;
  • histórico de saúde familiar;
  • histórico pessoal, descrevendo eventos ocorridos durante a gestação e nascimento do paciente, dados sobre o seu crescimento, doenças ocorridas, comportamento escolar, doenças preexistentes, vida sexual e reprodutiva;
  • exames físicos e de estado mental;
  • hipóteses diagnósticas;
  • exames complementares;
  • diagnóstico;
  • conduta;
  • prognóstico; 
  • sequelas;
  • causa de morte (se for o caso);

Ademais, em atendimentos ambulatoriais ou em consultórios de especialidades, a norma prevê que o registro da anamnese pode se ater aos itens imprescindíveis ao diagnóstico e à conduta terapêutica.

Além de tudo o que foi mencionado, recomenda-se que, ao realizar as anotações no prontuário eletrônico, o profissional de saúde evite o uso de códigos pessoais, o excesso de siglas e de abreviaturas desconhecidas.

Assim, caso seja solicitado pelo paciente ou pelo Poder Judiciário, todo o conteúdo do documento é de fácil entendimento, contribuindo para a comprovação dos atos praticados pelo médico quando da assistência ao paciente.

Enfim, toda a exigência de informação tem como objetivo evitar que haja qualquer tipo de prejuízo ao paciente durante um atendimento. Outrossim, com um prontuário eletrônico, você evita problemas de ilegibilidade e conta com um nível maior de segurança.

Gostou das dicas? Cadastre-se para começar a usar o prontuário eletrônico do iMedicina gratuitamente.

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira:

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.