Como um prontuário eletrônico com telemedicina pode ajudar o seu consultório a alavancar os resultados

prontuário eletrônico

Com a pandemia do novo coronavírus, muitos consultórios e médicos tiveram que mudar a sua forma de atender. A telemedicina, modalidade aprovada pelo Governo Federal em caráter emergencial, surgiu como uma opção. Na mesma linha, a procura por sistemas de prontuário eletrônico e gerenciamento online aumentaram. 

Como todos estão conectados e muitos atendimentos são feitos à distância, é importante que os especialistas tenham um espaço seguro e acessível para fazer os seus registros, criar atestados e emitir receitas médicas.

Neste artigo, falaremos mais sobre como a telemedicina pode fazer com que o seu número de atendimentos aumente. Da mesma forma, explicaremos porque ter um prontuário eletrônico e um software médico seguro podem alavancar os resultados do seu consultório. Confira!

Telemedicina: o que é?

A Lei nº13.989, de 15 de abril de 2020, dispõe sobre o uso da telemedicina durante a crise causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Segundo o artigo terceiro, entende-se telemedicina como o exercício da medicina mediado pela tecnologia. Atendimentos do gênero têm fins de assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões, além de promoção de saúde.

No ato da consulta, cabe ao médico informar ao paciente sobre as limitações do atendimento em questão, uma vez que não é possível fazer avaliação física por vias audiovisuais. Tal empecilho, em alguns casos, pode exigir que o médico encaminhe o paciente para o atendimento presencial.

A prestação do serviço de telemedicina deve seguir os padrões éticos e normais usuais do atendimento presencial. Portanto, a privacidade do paciente deve ser preservada. Da mesma forma, o pagamento, quando se aplicar, deve ser feito pelo paciente.

Ainda que não seja um tipo de atendimento muito conhecido pelo grande público, o avanço da telemedicina pode representar uma revolução no tratamento da população.

Como sabemos, há locais de difícil acesso, onde há pouco médicos. Com a possibilidade da consulta com um especialista via internet, por meio de smartphone ou computador, mais pessoas poderão fazer a prevenção de doenças, tirar dúvidas e, quando necessário, receber receitas médicas.

A telemedicina também permite ao médico manter a regularidade das consultas. Assim, não é necessário interromper tratamentos psiquiátricos ou consultas psicológicas quando algo não vai bem — mesmo na pandemia da Covid-19.

Prontuário eletrônico: o que diz a lei?

A lei nº13.787, de 27 de dezembro de 2018, dispõe sobre a digitalização e a utilização de sistemas informatizados para a guarda, o armazenamento e o manuseio de prontuários. Segundo ela, é preciso que o processo de digitalização de prontuário seja realizado de forma a assegurar a integridade, a confidencialidade e a autenticidade dos documentos virtuais.

Para tal, cabe à equipe do consultório ou ao médico garantir que o prontuário eletrônico contenha todas as informações presentes nos documentos originais. No processo de digitalização, é fundamental que seja utilizado certificado digital, o qual deve ser emitido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).

Como forma de assegurar que o acesso ao prontuário digital não seja feito por pessoas mal-intencionadas e que o documento não seja manuseado ou alterado de forma indevida, torna-se obrigatória a utilização de sistemas de gerenciamento de prontuários.

Por que optar pelo prontuário eletrônico?

Primeiro, porque se trata de um sistema inteligente. Prontuários tradicionais, feitos em papel, frequentemente sofrem com efeitos do tempo. Para serem encontrados, por sua vez, pode levar horas: afinal, uma clínica pode ter, literalmente, centenas de pacientes.

Logo, com sistemas informatizados, é possível acessar o prontuário completo a partir do nome, fazendo com que o atendimento ocorra de modo ágil e mais agradável, tanto para o especialista quanto para o paciente.

Assim, softwares médicos adequados permitem que o agendamento de próximas sessões seja feito online, otimizam a remarcação de maneira prática e, até mesmo, enviam lembretes para os pacientes.

Dessa forma, pode-se abrir mão das ligações de confirmação de consulta, que costumam consumir tempo e dinheiro. Com um sistema que alivia essas tarefas, é possível se concentrar no que realmente importa: no paciente.

Sistemas virtuais são seguros?

É compreensível que o médico hesite antes de adotar a telemedicina e os prontuários digitais: é realmente seguro fazer atendimento por vias digitais? O que garante que a sala não está sendo monitorada e observada por terceiros?

Como sabemos, já houve casos de aplicativos tiveram problema relacionado à privacidade de seus usuários. Por mais que a responsável tenha se aprimorado, uma vez que estamos falando sobre atendimento médico, é necessário optar por um fornecedor que tenha mais expertise no assunto.

A Telemedicina do iMedicina, por exemplo, oferece criptografia de ponta a ponta na conexão de vídeo. Assim, apenas quem tem acesso à sala pode visualizar o seu conteúdo. O acesso, aliás, deve ser autorizado pelo médico que efetuará a consulta. 

Ainda, nosso sistema conta com monitoramento em tempo real, desse modo, qualquer tentativa de acesso indevido é capturada. Oferecemos proteção por protocolo HTTPS, com certificado digital de 256 e a hospedagem de plataforma dos serviços da Amazon AWS, HIPPA Compliant, utilizado por gigantes como a NASA.

O prontuário digital utiliza do mesmo sistema?

Sim. Os dados só podem ser acessados em ambiente seguro, após a utilização de login e senha, e por meio de um certificado virtual.

Dessa maneira, conseguimos garantir que apenas os envolvidos no tratamento do paciente possam ter acesso aos dados. Convém lembrar, é claro, que o paciente pode solicitar uma cópia do seu prontuário quando quiser. Afinal, as informações disponibilizadas nele são de sua propriedade.

Com o software do iMedicina, é possível inserir informações sobre o paciente a cada nova consulta, verificar a evolução do seu quadro, registrar os medicamentos utilizados e a sua reação a eles etc.

Por fim, vale dizer que tanto o serviço de telemedicina quanto o de criação de prontuário eletrônico oferecidos pelo iMedicina são gratuitos. A partir deles, é possível otimizar e agilizar atendimentos, além de se manter em segurança e crescer exponencialmente.

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira: