Os novos pacientes são digitais, e agora?

pacientes são digitais

Assim como várias profissões, a Medicina se informatizou. Porém, não foram só os médicos que sentiram o impacto disso. Os pacientes se tornaram digitais e ressignificam todas as expectativas e desejos que envolvem os cuidados com a saúde.

Afinal, quem nunca ouviu falar do “Dr. Google”? Ele é o motivo de reclamações de muitos médicos, mas representa bem o que os pacientes digitais querem: uma resolução de seus problemas de forma ágil e fácil. Infelizmente, sabemos que essa não é a melhor forma.

Provavelmente, essa tendência veio para ficar. Segundo a pesquisa TIC Domicílios 2019, realizada pelo Centro Regional para o Desenvolvimento de Estudos para a Sociedade da Informação (Cetic.br), 134 milhões de brasileiros acessam a Internet. Além disso, 74% da população acessou a web pelo menos uma vez durante os últimos três meses.

O estudo também revelou que os smartphones são os dispositivos mais comuns para se conectar, com 99% dos casos.

Com todos esses dados, fica evidente que é impossível lutar contra a digitalização, inclusive na Medicina. Por isso, é preciso encontrar maneiras de usar essas ferramentas digitais para atrair e fidelizar pacientes. Quer saber como? Continue a leitura.

Primeiro passo: tenha um site médico e um blog

Se você ainda não tem nenhuma inserção digital que envolva a sua profissão, a primeira coisa a se fazer é criar um site médico. É essa página que os pacientes vão encontrar quando pesquisarem por alguma informação de saúde no Google.

Portanto, trabalhe para que o seu site esteja nos primeiros resultados da busca. A razão é simples: é difícil alguém olhar as páginas oferecidas pelo Google além dos primeiros links mostrados.

Então, a dica é apostar no SEO (Otimização para Motores de Busca, em português) que, com uso de palavras-chave e outras técnicas, proporciona um melhor ranqueamento do site nos resultados. Quando isso não é suficiente, também há como investir em Google Ads que, por meio de anúncios, vai promover a página.

Todavia, só criar um site qualquer não basta. É fundamental ter conteúdos de qualidade nele para que o público esteja bem abastecido de informações relevantes da área da saúde.

Então, é legal ter um blog associado. É nele que você poderá postar textos com dicas de saúde e informações sobre doenças, entre outros materiais que serão úteis para os pacientes.

Um exemplo simples: se você é um ginecologista, pode publicar materiais sobre os exames anuais que as mulheres devem fazer, as principais informações sobre o uso de anticoncepcionais, como prevenir algumas doenças etc.

Com isso, os pacientes perceberão todo o conhecimento e autoridade que você tem na sua área e se sentirão mais seguros e estimulados a marcar uma consulta com você.

Porém, não se esqueça também de criar conteúdos criativos, que vão além dos tradicionais textos. Podem ser vídeos, gráficos, ebooks e outros. A equipe de marketing do iMedicina, por exemplo, é especialista em transformar informações de saúde em materiais atrativos e interessantes.

Conte com uma ferramenta de agendamento eletrônico

No site, também é possível acrescentar o serviço de agendamento eletrônico. Com ele, o próprio paciente pode marcar uma consulta, sem precisar ligar para o consultório durante o horário comercial, quando, muitas vezes, as pessoas não têm tempo.

Portanto, esse tipo de agendamento significa mais praticidade e agilidade, ou seja, um diferencial para você.

Fique mais próximo dos pacientes por meio das redes sociais

É claro que as redes sociais são importantes para lidar com os pacientes digitais. Será nessas plataformas, principalmente no Instagram e no Facebook, que você poderá ficar mais próximo do seu público.

Prontuário Eletrônico Gratuito

Nelas, você pode publicar também diversas dicas de saúde. No entanto, deve-se ficar atento às normas do Conselho Federal de Medicina (CFM) — não utilizar conteúdos sensacionalistas, de autopromoção ou imagens de “antes e depois”, por exemplo.

Outra dúvida bastante comum é se o médico pode postar conteúdos pessoais em suas redes, como fotos com a família. Sim, não há nenhuma regra contra isso. Inclusive, até mesmo humaniza a figura do profissional. Todavia, é preciso ter cuidado para não publicar imagens que atrapalhem a reputação do médico.

Além de divulgar os materiais, é preciso interagir com os seguidores, ou seja, responder comentários e mensagens. Assim, as pessoas perceberão que o médico se importa com suas dúvidas e, quem ainda não é paciente, poderá se tornar um.

Invista na estratégia de e-mail marketing

Como o próprio nome diz, são mensagens encaminhadas por e-mail aos pacientes. Nelas, também é possível enviar conteúdos interessantes e úteis. Tudo isso com a segmentação em grupos.

Por exemplo, um ginecologista pode criar uma tag de pacientes que fazem tratamento para endometriose. Assim, essas mulheres receberão materiais sobre o que é a doença, formas de conviver melhor com ela, possíveis tratamentos e outras abordagens que serão relevantes para elas. Com o prontuário eletrônico do iMedicina, é possível criar essa segmentação.

Os e-mails podem parecer uma medida boba de marketing, mas eles encantam ainda mais o paciente com a atenção e cuidado que sentirá por parte do médico.

Não tenha medo da telemedicina

Alvo de muitas polêmicas, a telemedicina foi liberada com a pandemia de Covid-19 e, ao que tudo indica, veio para ficar. Portanto, é preciso acabar com o medo desse tipo de prática da Medicina e usá-la ao seu favor.

Afinal, a consulta a distância será útil para aquelas pessoas que têm pouco acesso a um atendimento de saúde ou que estão inseguras em sair de casa por conta do perigo de infecção pelo novo coronavírus, como pessoas no grupo de risco da doença.

É óbvio que a telemedicina apresenta diversas limitações e o médico deve deixar isso claro durante a consulta. Por exemplo, não há como fazer um exame oftalmológico detalhado a distância.

No entanto, essa nova prática é um atrativo a mais para os pacientes digitais que já estão acostumados a fazer tudo pela Internet.

Para auxiliar os médicos neste novo mundo dos atendimentos virtuais, o iMedicina liberou de forma gratuita a sua ferramenta de telemedicina, que tem como pilar a segurança com o sigilo profissional, uma das bases da ética médica.

Saiba que médicos e pacientes ganham com a prescrição eletrônica

Outra maneira de informatizar a Medicina é com o uso da prescrição eletrônica. O parceiro do iMedicina, a Memed, tem uma plataforma prática para isso, com mais de 60 mil medicamentos cadastrados e cerca de 3 mil exames.

Basta o médico digitar o nome do remédio na ferramenta e acrescentá-lo na receita, com composição e posologia já registrados (é possível mudar essas informações, caso seja necessário). Também inclui medicamentos de alto custo e seus formulários.

Após a finalização da prescrição, o documento pode ser encaminhado ao paciente por meio de mensagem SMS. Assim, ele apresenta na farmácia e tem a receita sempre por perto, o que ajuda na adesão ao tratamento.

Entenda como avaliar todas essas ações

Depois de colocar em prática essas dicas de inserção no mundo virtual, é importante avaliar se elas estão sendo bem-feitas. Para isso, a sugestão é aplicar pesquisas NPS, em que o paciente vai dar notas de 0 a 10 para diversos itens.

Com elas, você identifica as medidas que deram certo e que podem ser mantidas. Também percebe quais não estão agradando muito e que precisam ser modificadas. Por fim, você deixa os seus pacientes ainda mais satisfeitos.

O iMedicina oferece uma plataforma médica gratuita, completa, para você começar imediatamente! Basta se cadastrar no iMedicina gratuito e aproveitar todas as vantagens de ser um médico online!

metodologia imedicina

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira: