3 motivos pelos quais o seu prontuário eletrônico não está te entregando os resultados que deveria

prontuário eletrônico

Por conta dos seus benefícios evidentes, consultórios e clínicas estão cada vez mais migrando para o sistema de prontuário eletrônico a fim obter melhores resultados.

Na teoria, o software em si simplifica e automatiza o fluxo de trabalho, otimizando as rotinas e garantindo resultados satisfatórios. No entanto, na prática as coisas podem ser muito diferentes, principalmente quando se escolhe o software médico errado.

Um relatório sobre a insatisfação dos médicos com seus softwares de prontuário eletrônico mostrou que a maioria deles reclama que seu software não entrega os resultados esperados. No entanto, como os profissionais não vêem grandes alternativas no mercado, acabam ficando com seus sistemas ineficientes.

Se você se identificou com a situação acima, talvez seja a hora de mudar de software e nós vamos lhe mostrar o por quê. Acompanhe-nos agora e veja os 3 motivos pelos quais o seu prontuário eletrônico não está entregando os resultados que deveria.

Vamos lá?

 

1. Seu prontuário eletrônico não é fácil de usar

Este é um dos maiores motivos pelos quais os médicos continuam resistindo à mudança para a eletrônica, o que não é nenhuma surpresa, considerando a facilidade de uso do seu sistema de gestão antecessor: o prontuário de papel.

Você pode ter realizado a transição para a eletrônica a partir de um software médico que, aparentemente, parecia ser fácil de usar, mas infelizmente você está enfrentando problemas com interfaces complicadas e pouco intuitivas, sem mencionar a grande quantidade de informações na tela, o que acaba confundindo a sua cabeça.

Se para preencher dados de um paciente você gasta bons minutos em janelas complicadas, você está perdendo tempo! Se você não consegue buscar o histórico médico de um paciente quase que instantaneamente, você está perdendo tempo!

Se o seu prontuário eletrônico consome o seu tempo ao invés de poupá-lo, você está utilizando o software errado. Em pleno ano de 2017, não há espaço mais para softwares – principalmente softwares médicos – que não são fáceis de usar.

 

2. Seu sistema não possui os recursos que você mais precisa

Se você utiliza um sistema de prontuário eletrônico em seu consultório ou clínica, mas não está obtendo os resultados esperados, existem duas possibilidades:

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

A primeira é que talvez você tenha comprado um ótimo software de prontuário eletrônico, mas não está sabendo utilizá-lo de forma eficiente.

A segunda, que é a mais provável, é que você escolheu um sistema que não possui as funções que você mais precisa, como agenda integrada, sistema de agendamento online, módulo de estatísticas, lembretes via SMS e muitos outros recursos.

Se o seu prontuário eletrônico atual não oferece os recursos e funções que você mais precisa no seu dia-a-dia, como você espera alcançar os seus objetivos e metas com um sistema inútil? Um software sem os recursos necessários não entrega resultados.

 

3. Seu software não é um software médico

Inevitavelmente, o mercado de software médico cresceu absurdamente nos últimos anos. Com isso, novos desenvolvedores surgiram no mercado, cada um com seu software de prontuário eletrônico e potenciais recursos jamais vistos antes.

Alguns sistemas destinados a especialidades bem específicas, enquanto outros destinados a organizações maiores e aqueles que supostamente se adequam a qualquer clínica, consultório e hospital. E é aqui que mora o perigo.

Alguns desenvolvedores passaram a oferecer softwares universais, digamos, com a promessa de que eles podem se adaptar a qualquer tipo de negócio, desde o seu consultório até aquele escritório de advocacia localizado perto da sua casa.

No entanto, a verdade é que esse tipo de “software médico” não é flexível o suficiente para atender às necessidades de áreas completamente diferentes ao mesmo tempo.

Se o seu sistema de gestão médica atual é complicado de usar, não possui os recursos necessários para atender às necessidades do seu consultório e não está entregando os resultados que deveria, talvez você esteja utilizando um software genérico, ou seja, um software que não foi projetado em conjunto com profissionais da saúde.

 

Talvez seja a hora de trocar de sistema!

Como vimos ao decorrer do post, se o seu software de prontuário eletrônico atual não é fácil de usar, não possui os recursos que você mais precisa e quem sabe até foi projetado por programadores que não sabem como é a rotina de um consultório, obviamente ele não entregará nenhum resultado positivo, muito pelo contrário.

Então, se você realmente quer começar a obter resultados com um sistema médico, você precisa trocar de software. Não estamos falando de mudar para o software mais caro do mercado, mas sim escolher um prontuário eletrônico completo, podendo evoluir o seu negócio em diferentes áreas, desde o financeiro até o marketing.

E você, está enfrentando dificuldades para conseguir obter resultados satisfatórios a partir do seu prontuário eletrônico? Deixe o seu comentário e se interaja conosco!

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira:

  • 1) Atração de pacientes
  • 2) Atendimento com Eficiência e Tecnologia
  • 3) Relacionamento e fidelização

Já está de saída?

Junte-se a dezenas de milhares de Médicos e receba no seu email os melhores conteúdos sobre gestão, empreendedorismo e marketing em saúde.

Ao inscrever na nossa newsletter, você está autorizando o iMedicina a enviar conteúdos de seu interesse. Jamais fazemos spam! Confira nossa política de privacidade.