Antes do marketing médico: o que saber para começar

marketing médico

Uma das maiores ferramentas que os médicos têm para divulgar suas clínicas hoje é o Marketing Digital. Saber usar as redes sociais e os sites a seu favor é muito importante, mesmo se o médico ou clínica optar por terceirizar o serviço.

É essencial entender, pelo menos, como funcionam as ferramentas e o que pode ou não pode ser feito no marketing médico online, antes de iniciar o projeto de divulgação.

O que saber antes de começar uma estratégia de marketing médico

Presença digital para médicos requer alguns cuidados, inerentes da profissão. Por isso, reunimos aqui o que você deve saber antes de começar a sua estratégia.

Se você aderiu ao consultório online recentemente, ou pretende fazer isso em breve, é bom ficar de olho nos possíveis erros e acertos dessa nova realidade. 

Médicos precisam entender um pouco de marketing

Hoje em dia, todo gestor de consultório precisa entender de marketing, principalmente o digital. É importante, por exemplo, que o médico saiba analisar, de forma crítica, os pontos positivos e negativos do seu atendimento, ouvindo as queixas dos pacientes e corrigindo o que for preciso, assim como divulgar seus pontos positivos e diferenciais. 

É importante saber também que 77% dos pacientes pesquisam um especialista na internet antes de marcar suas consultas. Inclusive, esse fator é muito utilizado por algumas plataformas que “vendem” a informação sobre o médico para o usuário, priorizando o profissional que pagar mais.

Nesses casos, não necessariamente o melhor profissional vai aparecer como o mais bem avaliado da região, e sim, o que pagar por esse posto. Esse tipo de conduta precisa ser repensada, uma vez que o paciente corre risco de ser induzido erroneamente.

O bom profissional é plenamente capaz de divulgar seu atendimento sem precisar usar certos artifícios que possam desabonar a conduta médica.

Uma estratégia confiável precisa, também, seguir as orientações do Conselho Federal de Medicina (CFM), com atenção especial para o que pode ou não ser divulgado.

Um erro muito comum nas especialidades que lindam com a estética, por exemplo, é divulgar o antes e o depois dos pacientes nos tratamentos e procedimentos, o que é completamente desaconselhado pelo CFM. 

Se o médico deseja iniciar o seu projeto sozinho, é essencial que ele saiba:

  1. definir seu público-alvo;
  2. planejar o conteúdo nas redes sociais;
  3. estruturar um site;
  4. gerenciar sua presença online;
  5. ouvir as queixas dos seus pacientes em relação ao atendimento.

É sempre bom lembrar que existem empresas especializadas em marketing médico e relacionamento com o paciente, que podem conduzir toda a estratégia, economizando tempo e investimento do profissional.

No entanto, é preciso que o médico esteja por dentro das técnicas e das novidades do mercado digital para alcançar cada vez mais resultados.

Ser indicado pelos pacientes não é suficiente

O boca-a-boca não é mais suficiente para manter um consultório ou clínica hoje em dia. Como dito anteriormente, os pacientes pesquisam o médico online antes de agendar uma consulta e isso é um verdadeiro decisor de compra.

O Google My Business por exemplo, disponibiliza avaliação dos profissionais online, mas é muito comum que os pacientes procurem também as redes sociais do consultório e observem o que é disponibilizado ali para formarem sua opinião.

É por isso que as redes sociais para médicos são canais super sensíveis e que devem ser explorados com bastante responsabilidade pelos profissionais.

Prontuário Eletrônico GratuitoPowered by Rock Convert

Se as redes não passarem confiança, ou pior, se o médico não tiver redes sociais, as chances de o paciente não agendar a consulta são bem altas.

Nesse sentido, o gerenciamento de conteúdo é uma tarefa indispensável para atingir bons resultados. Saber o que postar, quando postar e para quem postar é muito importante: por isso o conhecimento do público-alvo é tão relevante aqui. 

Abordar assuntos originais nas redes sociais pode ser um desafio. Porém deixar as redes desatualizadas ou com temas que não são relevantes para o paciente, não gera atração, não o faz se sentir acolhido e não gera o engajamento necessário para que ele tenha o desejo de agendar consulta.

Um recurso muito comum é a contratação de uma equipe especializada em conteúdos digitais. Assim, o médico pode se preocupar apenas com o atendimento e a gestão da clínica, enquanto a equipe, treinada e capacitada para as ferramentas de negócios médicos, produzem o conteúdo necessário e de acordo com o público-alvo em questão. 

Tenha paciência: os resultados do marketing médico vêm com o tempo

Outro erro comum dos médicos é esperar o retorno imediato. Uma boa reputação online leva um pouco de tempo para se fortalecer. Claro que existem ferramentas que agilizam esse processo, como por exemplo: publicidade paga, marketing por geolocalização, formulários de dados, impulsionamento de conteúdo, etc. Mas, como em muitos outros segmentos, a pressa é inimiga da perfeição. 

A sua agenda não vai lotar de uma hora para outra. É importante cuidar de cada cliente por vez, para que gostem do cuidado oferecido e queiram agendar consultas e voltar sempre. 

Se contratar uma empresa, confie na sua equipe especialista. Os profissionais sabem como gerir o marketing online, e conhecem os melhores caminhos para conquistar mais pacientes.

Dito isso, invista em aprimorar seu atendimento, porque o que mantém os pacientes fiéis ao médico é a boa consulta e o bom relacionamento. Aos poucos, o seu marketing médico vai apresentando bons resultados e fazendo sua clínica crescer.

Padronize o atendimento

Seja qual for o meio de contato que o paciente tiver com sua clínica (redes sociais, telefone, e-mail ou link de agendamento de consultas), padronize o atendimento. Os pacientes precisam passar por uma triagem com protocolo padrão.

Desde o primeiro contato, causar uma boa impressão e um atendimento acolhedor mantém o paciente interessado. Um atendimento ruim ou que exija muito tempo pode causar estranheza ou desistência. 

É ideal que seus atendentes saibam identificar urgências de consultas ou consultas rotineiras, sabendo manter a discrição do paciente, deixando-o confortável para falar sobre suas queixas com a saúde. De maneira ética e humanizada, um bom atendente sabe fazer as perguntas certas para priorizar ou não um atendimento ou consulta. 

Capacite seus colaboradores

Invista em um bom treinamento para seus colaboradores. Em um consultório médico, todos os profissionais precisam estar alinhados ao posicionamento e objetivos do consultório. Os atendentes precisam saber lidar com o emocional dos pacientes, prestando o atendimento correto e acolhedor desde o primeiro contato. 

Um time de profissionais humanizados também é uma das forças que o consultório deve ter, pois o mau atendimento pode fazer o paciente desistir da consulta, mesmo que o seu marketing médico seja excelente. 

Portanto, incentive o atendimento humanizado e invista na capacitação dos seus colaboradores, para que eles ofereçam um melhor e mais assertivo suporte aos seus pacientes.

Esses são passos simples e fáceis de seguir, mas podem fazer toda a diferença para o seu paciente e para o funcionamento da sua clínica. Por fim, é a combinação de todos esses cuidados que fará com que sua clínica seja referência em atendimento, online e presencial.

Quer saber mais sobre marketing médico e relacionamento? Leia esse artigo do blog: Relacionamento e marketing médico: tudo o que você pode fazer com o iMedicina e saiba como o iMedicina pode te ajudar a crescer.

metodologia imedicinaPowered by Rock Convert

Deixe seu
comentário

Compartilhar

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos
Mais Procurados

Clínicas Digitais | Conheça o Livro
iMedicina Software Gratuito - Conheça!

Ainda não encontrou
o que buscava?

Método iMedicina

O iMedicina é uma das 10 Maiores Empresas de Tecnologia da Área de Saúde do Brasil, segundo a Distrito.me

Auxiliamos Profissionais de saúde nos 3 Pilares Fundamentais que precisam para prosperar na carreira: